12 conselhos da OMS para uma boa saúde

12 conselhos da OMS para uma boa saúde

Boa nutrição e atividade física são pilares.

Manter-se ativo e gerenciar o estresse são duas das dicas da OMS para levar uma vida saudável.
o mais lido

da boa vida
Sua cabeça doía: ele tinha uma praga de vermes no cérebro
Sua cabeça doía: ele tinha uma praga de vermes no cérebro
1
Autosexuals: eles se amam, querem um ao outro e só fazem sexo consigo mesmos
Autosexuals: eles se amam, querem um ao outro e só fazem sexo consigo mesmos
2
Os melhores alimentos contra a constipação
Os melhores alimentos contra a constipação
3
Angina pectoris, um sintoma que duplica o risco de ataque cardíaco: como reconhecê-lo
Angina pectoris, um sintoma que duplica o risco de ataque cardíaco: como reconhecê-lo
4
Meditação compassiva, uma maneira de desenvolver autenticidade
Meditação compassiva, uma maneira de desenvolver autenticidade
5

31/03/2017 – 8:05

Clarín.com
Boa vida
Saúde

Alimento
Exercícios
Saúde

Boa nutrição e atividade física são os pilares de um estilo de vida saudável. Mas eles não são os únicos. Evitar acidentes, reduzir o risco de doenças não transmissíveis e evitar a disseminação daqueles que também não fazem parte das ações para ter uma boa qualidade de vida, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Guia com 10 dicas para uma boa nutrição do Ministério da Saúde
Olha também
Guia com 10 dicas para uma boa nutrição do Ministério da Saúde

No âmbito da conferência mundial “Promoção da Saúde nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Saúde para todos e todos para a saúde” , realizada em Xangai (China) no final do ano passado, a OMS publicou um pôster com 12 dicas para desfrutar de boa saúde.
Contra o estilo de vida sedentário: 8 ideias para se movimentar sem ir ao ginásio
Olha também
Contra o estilo de vida sedentário: 8 ideias para se movimentar sem ir ao ginásio

Do órgão internacional, destaca-se que a saúde é um dos pilares da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, portanto, promovê-la é essencial para atingir as metas estabelecidas em menos de 15 anos. “Promover a saúde é empoderar as pessoas, comunidades e sociedades e proporcionar-lhes meios para cuidar de sua saúde e qualidade de vida”, dizem eles.

Aqui, as 12 dicas:

Siga uma dieta saudável

Fique fisicamente ativo, diariamente e cada um ao seu modo

Vacinar

Não use tabaco em nenhuma das suas formas

Evite o consumo de álcool ou reduza-o

Gerenciar o estresse para melhorar a saúde física e mental

Mantenha uma boa higiene

Não conduza muito rápido ou sob a influência de álcool

Leia também: Transtorno bipolar saiba o que é sintomas e tratamentos

Prenda o cinto de segurança no seu carro e use um capacete ao andar de bicicleta

Manter práticas sexuais seguras

Realizar exames médicos periódicos

Bebês que amamentam: é melhor para eles

Sete dicas para uma boa saúde na escola

Sete dicas para uma boa saúde na escola

A “volta às aulas” está se aproximando! O literal, o retorno à rotina do menor da casa. Levando em conta que as crianças passam a maior parte do dia na escola, trabalhar com elas para retornar positivamente é essencial:

Volte para a rotina progressivamente.
Incentive-os com a reunião com amigos, professores, etc.
Fortalecer seus pontos fortes e conquistas do curso anterior.
Incentive-os a obter novos desafios.
Faça planos juntos ou defina horários para jogar.

O retorno à escola pode ser uma boa oportunidade para trabalhar com eles com base em um estilo de vida saudável que sempre os acompanha. As mães sabem muito disso .
7 dicas para uma boa saúde na escola

As crianças passam a maior parte do dia na escola. E retornar também é um desafio para a sua saúde, porque você se encontrará novamente com companheiros menos agradáveis: infecções, piolhos etc.

O que podemos fazer para ter um ano saudável na escola?

Café da manhã balanceado: frutas, cereais e produtos lácteos são uma excelente maneira de começar o dia. E para recreação muito melhor um pedaço de fruta, um sanduíche ou um iogurte batido. Desta forma, evitamos problemas como a obesidade infantil .
Boa higiene: o mais simples é incentivá-los a lavar as mãos antes de comer e depois de ir ao banheiro . Fazê-lo de uma forma divertida, como cantar, através de uma história ou juntos, vai motivá-lo muito mais.
Cuidado com os piolhos : é bom explicar o que eles são e recomendam que eles não compartilhem pentes, escovas ou chapéus com outras crianças. Também é importante verificar suas cabeças durante o período escolar, especialmente se observarmos que eles coçam demais.
Escovar os dentes: doces ou falta de higiene bucal podem danificar os dentes e causar cáries. Ensiná-los a escovar bem os dentes, mesmo depois de comer na escola, é essencial.
Um dorso saudável: é melhor usar mochilas de rodas para evitar futuras lesões, o peso recomendado não deve exceder 10% do peso de nossos filhos.
A visão : problemas de visão podem estar por trás do fracasso escolar. Se notarmos que nosso filho está muito próximo de livros ou esguichos ao ver a cera, é melhor visitar o oftalmologista.

E, finalmente, a coisa mais aconselhável é um exame de rotina no médico antes de começar a escola, o que pode nos poupar algum descontentamento.
A parte de trás: uma questão de peso

Atualmente, 51% dos meninos e 69% das meninas sofrem de dor nas costas entre 13 e 15 anos . E isso aumenta o risco de dor nas costas crônica quando eles são adultos.

Para tomar conhecimento, uma nova edição da Comique de la République2017 foi publicada, que este ano é acompanhada por uma aplicação interativa com realidade aumentada que pode ser baixada gratuitamente e onde as crianças podem aprender, se divertindo, com conselhos para cuidar de suas costas .

Além disso, o Dr. Francisco Kovacs , diretor da Rede Espanhola de Pesquisadores nas Costas e da Unidade de Apoio de Kovacs do Hospital Universitário HLA-Moncloa, nos dá algumas aves para que nossos filhos tenham uma saúde saudável :

Realize atividade física regularmente.
Se a dor aparecer, evite o repouso completo e realize o grau de atividade que permite a dor.
Reduza o peso das mochilas e leve-as corretamente:
Se é rodas muito melhor.
Se não estiver: carregue em ambos os ombros, não balance e combine com o centro de gravidade das crianças, mais para a parte inferior das costas, mais baixo que nos adultos.

Lembre-se:

Leia também: Dermaroller funciona

O tempo escolar é um dos mais importantes para o desenvolvimento de nossos filhos, por isso ensinar-lhes hábitos saudáveis ​​irá ajudá-los a crescerem com vigor e com hábitos saudáveis.
Piolhos, gripe, cáries … Eles podem ser resolvidos com rotinas tão simples como lavar as mãos e os dentes e ensiná-los a não compartilhar pentes.
É importante cuidar da parte de trás do menor para evitar doenças na fase adulta: exercícios e cuidados com o peso da mochila, são essenciais.

8 dicas para uma alimentação saudável

8 dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável
Estas 8 dicas práticas cobrem os princípios básicos da alimentação saudável e podem ajudá-lo a fazer escolhas mais saudáveis.

A chave para uma dieta saudável é comer a quantidade certa de calorias pelo quão ativo você é, assim você equilibra a energia que consome com a energia que você usa.

Se você come ou bebe mais do que seu corpo precisa, você engordará porque a energia que você não usa é armazenada como gordura. Se você comer e beber muito pouco, perderá peso.

Você também deve ingerir uma ampla variedade de alimentos para ter certeza de que está recebendo uma dieta balanceada e seu corpo está recebendo todos os nutrientes de que precisa.

É recomendado que os homens tenham cerca de 2.500 calorias por dia (10.500 quilojoules). As mulheres devem ter cerca de 2.000 calorias por dia (8.400 quilojoules).

A maioria dos adultos no Reino Unido está comendo mais calorias do que o necessário e deve ingerir menos calorias.

1. Baseie suas refeições em carboidratos ricos em amido
Os carboidratos ricos em amido devem constituir pouco mais de um terço dos alimentos que você ingere. Eles incluem batatas, pão, arroz, macarrão e cereais.

Escolha variedades de fibra ou integrais mais altas, como massas integrais, arroz integral ou batatas com suas peles.

Eles contêm mais fibras do que carboidratos ricos em amido ou refinados brancos e podem ajudá-lo a se sentir satisfeito por mais tempo.

Tente incluir pelo menos 1 alimentos ricos em amido em cada refeição principal. Algumas pessoas acham que os alimentos ricos em amido são engordantes, mas gramas de gramas de carboidratos contêm menos da metade das calorias de gordura.

Fique de olho nas gorduras que você adiciona quando você está cozinhando ou servindo esses tipos de alimentos, porque isso é o que aumenta o conteúdo de calorias – por exemplo, óleo em salgadinhos, manteiga no pão e molhos cremosos em massas.

2. Coma muita fruta e vegetais
É recomendável que você coma pelo menos 5 porções de uma variedade de frutas e vegetais todos os dias, que podem ser frescos, congelados, enlatados, secos ou espremidos.

Obtendo o seu 5 A Day é mais fácil do que parece. Por que não picar uma banana sobre o cereal matinal ou trocar seu lanche habitual no meio da manhã por um pedaço de fruta fresca?

Uma porção de frutas e legumes frescos, enlatados ou congelados é 80g. Uma porção de fruta seca (que deve ser mantida para as refeições) é de 30g.

Um copo de 150ml de suco de fruta, suco de vegetais ou smoothie também conta como 1 porção, mas limita a quantidade que você tem para não mais que 1 copo por dia, pois essas bebidas são açucaradas e podem danificar os dentes.

3. Coma mais peixe, incluindo uma porção de peixe oleoso
O peixe é uma boa fonte de proteína e contém muitas vitaminas e minerais.

Apontar para comer pelo menos 2 porções de peixe por semana, incluindo pelo menos 1 porção de peixe oleoso.

Peixes oleosos são ricos em gorduras ômega-3, o que pode ajudar a prevenir doenças cardíacas.

Peixes oleosos incluem:

salmão
truta
arenque
sardinhas
sardinha
cavalinha
Peixes não oleosos incluem:

arinca
solha
coley
bacalhau
atum
patim
pescada
Você pode escolher entre fresco, congelado e enlatado, mas lembre-se que o peixe enlatado e defumado pode ter alto teor de sal.

A maioria das pessoas deve comer mais peixe, mas existem limites recomendados para alguns tipos de peixe.

Saiba mais sobre peixe e marisco

4. Reduzir a gordura saturada e o açúcar
Gordura saturada
Você precisa de um pouco de gordura em sua dieta, mas é importante prestar atenção à quantidade e ao tipo de gordura que você está comendo.

Existem dois tipos principais de gordura: saturada e insaturada. Demasiada gordura saturada pode aumentar a quantidade de colesterol no sangue, o que aumenta o risco de desenvolver doenças cardíacas.

Em média, os homens não devem ter mais que 30g de gordura saturada por dia. Em média, as mulheres não devem ter mais de 20g de gordura saturada por dia.

As crianças com menos de 11 anos devem ter menos gordura saturada do que os adultos, mas uma dieta com baixo teor de gordura não é adequada para crianças com menos de 5 anos.

A gordura saturada é encontrada em muitos alimentos, como:

cortes gordurosos de carne
salsichas
manteiga
queijo duro
creme
bolos
biscoitos
banha
tortas
Tente reduzir sua ingestão de gordura saturada e escolha alimentos que contenham gorduras insaturadas, como óleos e cremes vegetais, peixes oleosos e abacates.

Para uma escolha mais saudável, use uma pequena quantidade de óleo vegetal ou de azeite, ou de gordura reduzida ao invés de manteiga, banha ou ghee.

Quando você estiver com carne, escolha cortes magros e corte qualquer gordura visível.

Leia também: Cromofina funciona

Todos os tipos de gordura são ricos em energia, por isso só devem ser consumidos em pequenas quantidades.

Açúcar
O consumo regular de alimentos e bebidas ricos em açúcar aumenta o risco de obesidade e cárie dentária.

Alimentos e bebidas açucarados são muitas vezes ricos em energia (medidos em quilojoules ou calorias) e, se consumidos com muita frequência, podem contribuir para o ganho de peso. Eles também podem causar cárie dentária, especialmente se consumidos entre as refeições.

Açúcares livres são quaisquer açúcares adicionados a alimentos ou bebidas, ou encontrados naturalmente em mel, xaropes e sucos e smoothies de frutas sem açúcar.

Este é o tipo de açúcar que você deve cortar, em vez do açúcar encontrado na fruta e no leite.

Muitos alimentos e bebidas embalados contêm quantidades surpreendentemente altas de açúcares livres.
swee

5 hábitos saudáveis ​​que podem adicionar mais de uma década à sua vida

5 hábitos saudáveis ​​que podem adicionar mais de uma década à sua vida

‘As pessoas que aderem a cinco hábitos saudáveis ​​na vida adulta podem acrescentar mais de uma década às suas vidas’, relata The Guardian. Leitores regulares de Behind the Headlines, ou notícias de saúde em geral, não ficarão surpresos ao saber que os hábitos são:

não fume
manter um peso saudável
fazendo pelo menos 30 minutos de exercício moderado por dia
comer uma dieta saudável rica em frutas, legumes e grãos integrais e pobre em carne vermelha, gorduras saturadas e açúcar
não beber muito álcool – a orientação atual do Reino Unido recomenda não mais do que 14 unidades por semana para homens e mulheres
Os resultados são baseados em um estudo dos EUA que analisou os hábitos e a saúde de cerca de 123.000 profissionais de saúde ao longo de 30 anos. Os participantes que adotaram todos os cinco tiveram 74% menos chances de morrer durante o estudo do que aqueles que não adotaram nenhum deles. As mulheres com esses hábitos saudáveis ​​viveram em média 14 anos a mais do que suas contrapartes e os homens cerca de 12 anos a mais.

Leia também: Kifina funciona

Estes resultados apoiam a compreensão atual dos benefícios dos hábitos de vida saudáveis.

Se você tem levado um estilo de vida pouco saudável, pode ser irrealista tentar mudar para hábitos melhores da noite para o dia. Uma opção é se concentrar em adotar apenas 1 hábito e isso pode levá-lo a adotar mais, ou talvez até mesmo todos eles. Por exemplo, se você parar de fumar, poderá descobrir que tem mais resistência para se exercitar.

Encorajadoramente, o estudo descobriu que cada hábito saudável contribuiu individualmente para reduzir o risco de morte prematura.

De onde veio a história?
O estudo foi realizado por pesquisadores da Harvard T.H. Chan Escola de Saúde Pública em Boston, EUA, e outros centros na China, no Reino Unido, na Holanda e nos EUA. Foi publicado no periódico médico Circulation.

A mídia britânica e internacional cobriu o estudo com precisão.

Que tipo de pesquisa foi essa?
Este foi um estudo de coorte prospectivo de adultos nos EUA que analisou como os hábitos de vida afetaram o tempo de vida dos participantes e de quais doenças eles morreram.

Esse tipo de estudo é a melhor maneira de investigar essa questão, já que não seria realista ou ético estabelecer um estudo controlado randomizado onde as pessoas seriam designadas a adotar hábitos saudáveis ​​ou não saudáveis ​​por um longo período de tempo.

A principal limitação de uma abordagem de coorte prospectiva é que ela dificulta a identificação do efeito de hábitos individuais ao longo da vida. Para resolver isso, os pesquisadores tomaram as medidas apropriadas para explicar a influência de importantes fatores não relacionados ao estilo de vida, como a história familiar de doenças graves.

O que a pesquisa envolveu?
Os pesquisadores analisaram informações de cerca de 123.000 adultos, com idades entre 30 e 75 anos no início do estudo, que foram acompanhados por cerca de 30 anos. Os pesquisadores analisaram se aqueles com hábitos saudáveis ​​viviam mais do que aqueles com hábitos não saudáveis ​​e, em caso afirmativo, em quanto.

Os dados vieram do Nurses ‘Health Study (que incluiu apenas mulheres) e do Health Professionals Follow-up Study (que incluiu apenas homens). Ambos começaram nos anos 80 e duraram até 2014. Eles usaram questionários validados para avaliar os participantes’ comendo e comendo ‘. hábitos de consumo a cada 4 anos e atividade física a cada 2 anos. Os participantes também foram questionados se fumavam e quanto pesavam a cada dois anos.

A dieta foi avaliada usando o Índice Alternativo de Alimentação Saudável (AHEI). Este sistema dá aos participantes uma pontuação baseada em quão bem a sua dieta atende às quantidades recomendadas de alimentos, incluindo:

alta ingestão de vegetais, frutas, nozes, grãos integrais, ácidos graxos poliinsaturados e ácidos graxos ômega-3 de cadeia longa
baixa ingestão de carnes vermelhas e processadas, bebidas açucaradas, gorduras trans e sal
Participantes cujas pontuações AHEI estavam no top 40% foram considerados como tendo uma dieta saudável.

Os pesquisadores analisaram 5 comportamentos ou características saudáveis:

ter uma dieta saudável
nunca fumar
ser fisicamente ativo – pelo menos 30 minutos de atividade moderada ou vigorosa por dia
Beber uma quantidade moderada de álcool – entre aproximadamente 0,5 e 2 unidades por dia para mulheres, e 0,5 e 3 unidades por dia para homens
não estar com sobrepeso ou obesidade – então ter um índice de massa corporal (IMC) de 18,5 a 24,9
Os participantes receberam uma pontuação de 1 para cada característica que tinham e 0 para cada não. Assim, uma pessoa com todos os 5 traços saudáveis ​​teria 5 pontos e uma pessoa sem pontuação marcaria 0.
Os pesquisadores também usaram informações coletadas durante 2013-14 como parte de uma pesquisa nacional (a Pesquisa Anual de Exame Nacional de Saúde e Nutrição dos EUA) para avaliar quão comuns eram esses hábitos e características na população dos EUA.

A morte e a causa da morte foram identificadas usando registros nacionais e relatórios familiares. Os pesquisadores também analisaram as causas da morte

Saúde Feminina, como aliviar a cólica

Saúde Feminina, como aliviar a cólica

Hoje vim falar da saúde da mulher.
Creio que saúde é um assunto que é sempre bom estamos bem informadas e informados, para os homens de plantão que podem conhecer mulheres que sofrem de cólicas menstruais e podem ajudar suas parceiras a partir destas informações, bora lá?!

Muitas mulheres optam por usar medicamentos quando bate aquela dor, eu uso quando não estou mais aguentando, a recomendação médica (sim, eu falei com médicos) é que o uso dos medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios não-esteroides, comecem a serem usados 3 a 2 dias antes do primeiro dia da menstruação.

São indicados medicamentos, como, por exemplo, o Ibuprofeno, Paracetamol ou Ácido acetil salicílico, que atuam bloqueando a produção de prostaglandinas tendo efeito contra a dor e a inflamação.
Medicamentos antiespasmódicos, como o Atroveran ou o Buscopan, por exemplo, para diminuir as cólicas menstruais.
Pílulas anticoncepcionais hormonais, em alguns casos.

Lembrem-se antes de sempre consultar seu médico para saber qual o medicamento adequado para você.
Remédio é coisa séria, okay? Okay!

Leia também: Atroveran para cólica

O que pode ajudar e MUITO o alívio de cólicas menstruais é a nossa alimentação, vale a pena reforçar alguns que estão sempre presentes no nosso dia a dia.

Aumentar ingestão de alimentos como laticínios, vegetais escuros, soja, banana, beterraba, aveia, couve, abobrinha, salmão ou atum.
Evitar beber bebidas com cafeína, como café, chocolate, chá preto e refrigerantes, como coca-cola.
Evitar beber bebidas alcoólicas
Descanso, colocando a barriga para baixo apoiada em um travesseiro para a comprimir.
Colocar um saco de água quente sobre a barriga.
Evitar fazer esforços.
Beber muita água, acaba a menstruação mais cedo, foi comprovado, água é vida né amores?!

Muitos profissionais indicam o tratamento fisioterapêutico, como:

– Termoterapia através do calor, que vai estimular a irrigação sanguínea, relaxar a musculatura e aliviar o impacto das contrações do útero.
Aquela velha compressa de água quente da vovó.

– Massoterapia, que é um tipo de massagem por amassamento ou fricção que acalma, melhora a circulação e relaxa a musculatura, como a massagem reflexa, ayurvédica ou o shiatsu, por exemplo. Meu médico indicou e acho valido que seja dito, movimentos de yoga pode ajudar.

– Exercícios pélvicos que alongam os músculos, promovendo o seu relaxamento e aliviam a dor.

– Estimulação Nervosa Transcutânea, a TENS, em que através da colocação de elétrodos na pele na região lombar e pélvica é emitida uma corrente elétrica que não provoca dor e que estimula as terminações nervosas, aliviando a dor e a cólica. Nunca tentei esta, mais é recomendado para quem conhece uma clínica que seja especializada neste tipo de tratamento.

– Crioterapia, que é a aplicação de gelo sobre a pele que vai ajudar a aliviar a dor. E eu comecei a fazer isto, a pouco tempo, e nossa, ajuda muito. Alivia mesmo!

– Acupuntura em que através da colocação de agulhas em pontos chave pode ser possível diminuir a dor menstrual e regular o ciclo menstrual.
O tratamento fisioterapêutico é ótimo para substituir as medicações, claro, que em caso de dores absurdas, não é normal, cólicas menstruais abusivas é sempre bom procurar um médico e ver qual o melhor tratamento para você.
Essas dicas acima são recomendadas para qualquer tipo de pessoa, pois envolve uma boa alimentação e exercícios que é sempre bom colocar em prática para se manter saudável. Segue abaixo alguns exercícios.

Fim das cólicas: Conheça os melhores alimentos para aliviar as dores menstruais

Leia também: remédio para Cólica menstrual

Que tal aliviar as dores da cólica comendo? Pois é, uma boa alimentação, cercada de fontes de vitaminas e minerais, ajuda e muito a evitar esses incômodos que tanto atrapalham o dia a dia das mulheres. Veja as melhores opções para o seu cardápio!

Qual mulher não gostaria de ter suas dores de cólica, no mínimo, diminuidas? Pois é, o período menstrual é uma fase que atrapalha e muito o bem-estar do cotidiano feminino e, por isso, merece sempre uma atenção especial. A boa notícia é que, através de bons hábitos alimentares e determinados nutrientes, é possível aliviar esse incômodo de forma natural e saudável. Veja mais!

De acordo com um estudo publicado na “Revista Brasileira de Medicina”, cerca de 33 milhões de mulheres sofrem com as cólicas menstruais em nosso país. Em linhas gerais, essa dor acontece mensalmente na região pélvica, provocada por uma substância chamada de prostaglandina. Durante essa fase as estruturas reprodutivas do corpo feminino se prepararam para receber um embrião e, quando isso não ocorre, o organismo faz um processo inverso, liberando a prostaglandina, fazendo com que o útero contraia e comprima os nervos e vasos sanguíneos, provocando os incômodos embaixo do ventre.

A boa notícia, para quem sempre está atenta à alimentação saudável, é que há uma grande influência daquilo que comemos durante o ciclo menstrual, tendo uma necessidade maior da ingestão de alguns nutrientes específicos, principalmente vitaminas e minerais, que podem aliviar os sintomas do período. A nutricionista Luciana Novaes explica:

“Estudos mostram que há alterações no corpo feminino que possuem uma estreita relação entre o ciclo menstrual e a alimentação. O período que antecede a menstruação, por exemplo, é relatado em diversos estudos como um período onde a mulher mais sente fome, e essa influência não fica apenas no apetite, os tipos de alimentos escolhidos e até níveis de compulsão também podem ser desencadeados em relação a alterações hormonais”, analisa a profissional reiterando:

“Alguns alimentos se tornam chave para o alívio desses sintomas. E o doce, principalmente o chocolate, acaba sendo o alimento preferido nessa situação. Só que ele não é o que seria mais adequado de se consumir, podendo até provocar piora de sintomas.”, ressalta a especialista, apresentando alguns alimentos indispensáveis para o período menstrual. Confira!

Alimentos importantes para alíviar a cólica menstrual
Banana e aveia: São ricos em vitamina B6, que é uma vitamina com atuação importante nos neurotransmissores, aliviando as dores. Banana ainda é rica em potássio que alivia dores musculares.

Nozes, castanhas e milho: Ricos em vitamina E, que favorece a diminuição do sangramento e também traz alívio às dores.

Queijo branco, leite desnatado e vegetais verdes escuros (couve, espinafre e brócolis): Ricos em cálcio, um mineral importantíssimo no alívio das cólicas menstruais. Ele costuma estar diminuído no período menstrual e possui ligação direta na contração e relaxamento muscular, contribuindo para diminuir a tensão na região do útero nesse período. Além disso o cálcio também auxilia na redução do inchaço.

Semente de abóbora, girassol e amêndoas: Também são fontes de vitamina E e fontes de magnésio, que é outro mineral importante na diminuição da dor. Também são fontes de ácidos graxos que auxiliam na diminuição da inflamação, contribuindo para alívio dos sintomas.

Uva, acerola, laranja: Frutas cítricas em geral possuem excelentes doses de vitamina C. A uva é uma boa fonte de flavonoides. A vitamina C e os flavonoides são antioxidantes que auxiliam na redução de processos inflamatórios.

O que as mulheres devem evitar comer no período menstrual?
Café, chá preto, chá mate: Possuem cafeína que uma substância estimulante que pode piorar o quadro da dor.

Salsichas, presunto, blanquet e enlatados: “O excesso de sódio que esses alimentos possuem levam o organismo a reter líquido e aumentar o inchaço. Isso causará um desconforto maior.”, ressalta a Dra. Luciana.

Doces industrializados, bolos, pães doces e carne vermelha: Pelo aumento na ingestão de gorduras saturadas e hidrogenadas que levam a um desequilíbrio hormonal aumentando as contrações no útero e processos inflamatórios e, consecutivamente, a dor.

Farinha branca e açúcar: Alimentos refinados são pobres em vitaminas do complexo B e magnésio, importantes para o alívio dos sintomas nesse período. Além de não contribuírem para a boa saúde de uma forma geral.

O que é terçol e quais são os sintomas?

Medicina de Família e Comunidade
Terçol é uma inflamação purulenta que ocorre na pálpebra. Essa inflamação pode ser consequência de um processo inflamatório das glândulas meibomianas ou da presença de infecção causada por bactérias, sendo Staphylococcus aureus a bactéria mais comum.

Leia também: o que é Terçol

Os sintomas do terçol são caracterizados por um caroço (nodulação similar à espinha) avermelhado e doloroso na borda da pálpebra. Também pode vir acompanhado de lacrimejamento, dor na região dos olhos e inchaço.

O terçol pode ser tratado com uso de compressas mornas na região afetada 4x ao dia por 10 a 15 minutos. Caso não haja melhora dos sintomas em duas semanas, é recomendado consulta com médico/a oftalmologista para uma avaliação.

8 hábitos diários indispensáveis para manter sua pele saudável

Fique atenta: do uso de produtos adequados à escolha do que vai ao prato, muitos fatores interferem na saúde e na beleza de sua pele

Absolutamente tudo que fazemos interfere de alguma forma no organismo – logo, muitas de nossas ações têm impacto direto sobre a pele, que é o maior órgão do corpo humano.

Conversamos com a dermatologista Helua Gazi, da Clínica Helua Gazi de Dermatologia, e com a biomédica esteta Monica Batista, especializada em Harvard, sobre quais são os bons hábitos diários para manter a pele saudável e, consequentemente, bonita. Saiba quais são e já adote os que não fizerem parte de sua rotina.

Usar somente produtos adequados ao seu tipo de pele
É preciso conhecer sua pele. Ela é normal, seca, mista ou oleosa? Se você não tiver ideia, consulte uma dermatologista ou uma médica especializada em pele para tirar essa dúvida.

Sabendo o tipo de pele, você pode partir para os produtos desenvolvidos especialmente para ele. Monica dá dicas gerais para guiar suas escolhas:

– Pele mista se dá bem com produtos à base de aloe vera, que retiram a oleosidade na medida certa e sem deixar a área normal ressecada;

– Pele oleosa precisa de tratamento especial, devido à tendência à acne e à produção de mais óleos que o normal, mas via de regra os produtos à base de enxofre ou de chá verde são benéficos para ela;

– Pele seca deve receber hidratação redobrada, o que os produtos à base de mel, leite e aveia proporcionam; e

– Pele normal é a mais tranquila no que diz respeito à escolha dos produtos, que normalmente são neutros e com alguns agentes hidratantes.

As informações sobre a que tipo de pele um produto é destinado e quais são seus princípios ativos estão sempre bem visíveis nos rótulos. Dar atenção a elas evita problemas como irritações, alergias e efeitos contrários ao que se deseja. Por exemplo: um produto para peles oleosas pode causar descamações em peles secas, assim como um produto para peles secas pode agravar a oleosidade das peles oleosas.

Ter uma rotina de limpeza da pele do rosto

(liza5450/Thinkstock)

Normal, seca, mista ou oleosa, a pele do rosto deve ser limpa duas vezes ao dia: uma de manhã (de preferência logo ao acordar) e uma à noite (antes de dormir). “A pele precisa de rotina. Limpar, tonificar, hidratar e tratar devem ser encarados como um ritual, um exercício diário mesmo”, defende Helua.

É bem simples. Primeiro lava-se o rosto com água e sabonete adequado, como foi explicado ali em cima. Em seguida aplica-se adstringente (para peles oleosas), tônico (para os outros tipos de pele) ou água micelar (para todos os tipos de pele). Para finalizar, hidratante – e atenção: todas as peles precisam de hidratante, mesmo as oleosas.

O procedimento da noite pode ser complementado com a aplicação de produtos antioxidantes, clareadores de manchas ou regeneradores celulares. Essas funções são conseguidas com ácidos (normalmente o retinoico, o glicólico ou o azelaico), que não devem ser aplicados quando há exposição aos raios solares.

Já a rotina do dia deve ser finalizada com a aplicação do protetor solar. Vamos falar um pouco mais sobre ele!

Usar protetor solar diariamente
O protetor solar evita a ação dos raios UVA e UVB sobre a pele, prevenindo o envelhecimento precoce e o câncer de pele. E tem mais: ele também protege contra o aparecimento de manchas, flacidez e rugas.

Hoje em dia, é obrigatório aplicar protetor solar no rosto e no corpo mesmo que o destino não seja a piscina ou a praia. Isso mesmo: tem que passar para ir trabalhar, estudar ou circular pela cidade.

Ao comprar seu filtro solar, certifique-se de que ele tenha proteção contra raios UVB (pelo FPS, que as especialistas recomendam que seja 30) e contra raios UVA (pela presença de sinais de “+” no rótulo – podem ser até três).

E tem um detalhe bem importante: providencie um protetor solar específico para o rosto e outro para o corpo. A pele da face é mais delicada e precisa de um produto que respeite essa diferença. Só use o filtro solar do corpo no rosto se não houver outra maneira de se proteger.

Hidratar o corpo de dentro para fora

(m-imagephotography/Thinkstock)

Uma ajuda interna à ação externa de produtos para a pele é a hidratação do organismo, ou seja, beber água. O corpo que não é hidratado adequadamente se reflete em uma pele flácida e sem viço. E a água ingerida também ajuda a eliminar toxinas, deixando a pele menos propensa a cravos, espinhas e marcas em geral.

Leia também: Saude

Comer alimentos que façam bem à pele
Além da hidratação, a alimentação auxilia na manutenção da saúde e da beleza da pele. Os principais alimentos são:

– Frutas vermelhas (morango, amora, framboesa etc.), ricas em vitamina C e cianidina, elementos que previnem o envelhecimento precoce da pele, o excesso de oleosidade e a formação de acne;

– Abacaxi, anti-inflamatório que ataca acne e alergias;

– Cenoura, que revitaliza a pele por ser rica em ácido lipóico; e

– Salmão, rico em vitamina D e ômega-3, que ajudam a prevenir o câncer de pele ao combater o crescimento desordenado das células.

Colocando-os nas refeições e evitando os vilões da pele – farinha branca, açúcar refinado e frituras –, é possível turbinar os efeitos dos produtos de limpeza e tratamento que você escolher aplicar na pele.

Sempre tirar a maquiagem antes de dormir

(shironosov/Thinkstock)

Por mais cansada que esteja, reserve uns minutinhos do fim do dia para a retirada da maquiagem e a rotina de limpeza da noite. Dormir sem maquiagem evita a obstrução dos poros, o aparecimento de cravos e espinhas, o aumento da oleosidade, a diminuição do viço e o envelhecimento precoce da pele.

Quando você usa maquiagem, apenas lavar o rosto com água e sabonete não é suficiente; você precisará primeiro remover a maquiagem com produtos específicos para esse fim e em seguida partir para a rotina de limpeza com sabonete, adstringente/água micelar/tônico e hidratante.

Ter boas noites de sono
A pele precisa do período de repouso do corpo para se recuperar das agressões do dia, como a poluição e o sol. O resguardo da noite é favorável à renovação celular, à oxigenação e à recepção dos princípios ativos dos cremes de tratamento. Uma noite bem dormida é, por si só, um tratamento para a pele.

Consultar-se com especialistas e manter o check-up em dia
Uma ida a uma médica especializada no tratamento da pele é boa para que seja feito um diagnóstico do estado de saúde da sua pele e para que ela possa cuidar pontualmente de eventuais problemas, como manchas e acne.

“No consultório, também podemos receitar produtos para serem manipulados ou, se a paciente preferir, esclarecer quais são os produtos de farmácia indicados para a pele dela, explicar as diferenças entre o que há à venda. Algumas mulheres preferem comprar tudo pronto, é um direito delas, e uma de nossas funções é ajudá-las a escolher as melhores alternativas das melhores marcas”, afirma Helua.

Veja também

SAÚDE
Além do ginecologista: 11 médicos importantes na saúde da mulher
query_builder20 out 2017 – 19h10

Estar com o check-up em dia também ajuda muito a ter uma pele sempre saudável. Monica explica que “se algo vai mal, logo percebemos na pele. Problemas hormonais, por exemplo, refletem em acne no rosto”. Passar anualmente pela ginecologista e pela endocrinologista, portanto, é importante também para a saúde e a aparência da pele.