5 hábitos saudáveis ​​que podem adicionar mais de uma década à sua vida

5 hábitos saudáveis ​​que podem adicionar mais de uma década à sua vida

‘As pessoas que aderem a cinco hábitos saudáveis ​​na vida adulta podem acrescentar mais de uma década às suas vidas’, relata The Guardian. Leitores regulares de Behind the Headlines, ou notícias de saúde em geral, não ficarão surpresos ao saber que os hábitos são:

não fume
manter um peso saudável
fazendo pelo menos 30 minutos de exercício moderado por dia
comer uma dieta saudável rica em frutas, legumes e grãos integrais e pobre em carne vermelha, gorduras saturadas e açúcar
não beber muito álcool – a orientação atual do Reino Unido recomenda não mais do que 14 unidades por semana para homens e mulheres
Os resultados são baseados em um estudo dos EUA que analisou os hábitos e a saúde de cerca de 123.000 profissionais de saúde ao longo de 30 anos. Os participantes que adotaram todos os cinco tiveram 74% menos chances de morrer durante o estudo do que aqueles que não adotaram nenhum deles. As mulheres com esses hábitos saudáveis ​​viveram em média 14 anos a mais do que suas contrapartes e os homens cerca de 12 anos a mais.

Leia também: Kifina funciona

Estes resultados apoiam a compreensão atual dos benefícios dos hábitos de vida saudáveis.

Se você tem levado um estilo de vida pouco saudável, pode ser irrealista tentar mudar para hábitos melhores da noite para o dia. Uma opção é se concentrar em adotar apenas 1 hábito e isso pode levá-lo a adotar mais, ou talvez até mesmo todos eles. Por exemplo, se você parar de fumar, poderá descobrir que tem mais resistência para se exercitar.

Encorajadoramente, o estudo descobriu que cada hábito saudável contribuiu individualmente para reduzir o risco de morte prematura.

De onde veio a história?
O estudo foi realizado por pesquisadores da Harvard T.H. Chan Escola de Saúde Pública em Boston, EUA, e outros centros na China, no Reino Unido, na Holanda e nos EUA. Foi publicado no periódico médico Circulation.

A mídia britânica e internacional cobriu o estudo com precisão.

Que tipo de pesquisa foi essa?
Este foi um estudo de coorte prospectivo de adultos nos EUA que analisou como os hábitos de vida afetaram o tempo de vida dos participantes e de quais doenças eles morreram.

Esse tipo de estudo é a melhor maneira de investigar essa questão, já que não seria realista ou ético estabelecer um estudo controlado randomizado onde as pessoas seriam designadas a adotar hábitos saudáveis ​​ou não saudáveis ​​por um longo período de tempo.

A principal limitação de uma abordagem de coorte prospectiva é que ela dificulta a identificação do efeito de hábitos individuais ao longo da vida. Para resolver isso, os pesquisadores tomaram as medidas apropriadas para explicar a influência de importantes fatores não relacionados ao estilo de vida, como a história familiar de doenças graves.

O que a pesquisa envolveu?
Os pesquisadores analisaram informações de cerca de 123.000 adultos, com idades entre 30 e 75 anos no início do estudo, que foram acompanhados por cerca de 30 anos. Os pesquisadores analisaram se aqueles com hábitos saudáveis ​​viviam mais do que aqueles com hábitos não saudáveis ​​e, em caso afirmativo, em quanto.

Os dados vieram do Nurses ‘Health Study (que incluiu apenas mulheres) e do Health Professionals Follow-up Study (que incluiu apenas homens). Ambos começaram nos anos 80 e duraram até 2014. Eles usaram questionários validados para avaliar os participantes’ comendo e comendo ‘. hábitos de consumo a cada 4 anos e atividade física a cada 2 anos. Os participantes também foram questionados se fumavam e quanto pesavam a cada dois anos.

A dieta foi avaliada usando o Índice Alternativo de Alimentação Saudável (AHEI). Este sistema dá aos participantes uma pontuação baseada em quão bem a sua dieta atende às quantidades recomendadas de alimentos, incluindo:

alta ingestão de vegetais, frutas, nozes, grãos integrais, ácidos graxos poliinsaturados e ácidos graxos ômega-3 de cadeia longa
baixa ingestão de carnes vermelhas e processadas, bebidas açucaradas, gorduras trans e sal
Participantes cujas pontuações AHEI estavam no top 40% foram considerados como tendo uma dieta saudável.

Os pesquisadores analisaram 5 comportamentos ou características saudáveis:

ter uma dieta saudável
nunca fumar
ser fisicamente ativo – pelo menos 30 minutos de atividade moderada ou vigorosa por dia
Beber uma quantidade moderada de álcool – entre aproximadamente 0,5 e 2 unidades por dia para mulheres, e 0,5 e 3 unidades por dia para homens
não estar com sobrepeso ou obesidade – então ter um índice de massa corporal (IMC) de 18,5 a 24,9
Os participantes receberam uma pontuação de 1 para cada característica que tinham e 0 para cada não. Assim, uma pessoa com todos os 5 traços saudáveis ​​teria 5 pontos e uma pessoa sem pontuação marcaria 0.
Os pesquisadores também usaram informações coletadas durante 2013-14 como parte de uma pesquisa nacional (a Pesquisa Anual de Exame Nacional de Saúde e Nutrição dos EUA) para avaliar quão comuns eram esses hábitos e características na população dos EUA.

A morte e a causa da morte foram identificadas usando registros nacionais e relatórios familiares. Os pesquisadores também analisaram as causas da morte

Como perder peso

Como perder peso

Você tem problemas para perder peso? Ou você gostaria de perder mais rápido? Você veio ao lugar certo. Prepare-se para perda de peso sem fome.

A triste verdade é que as ideias convencionais – comem menos, correm mais – não funcionam a longo prazo. Contando calorias, exercitando-se por horas todos os dias e tentando ignorar sua fome? Isso é sofrimento desnecessário e desperdiça seu tempo e preciosa força de vontade. É perda de peso para masoquistas. Eventualmente quase todo mundo desiste. É por isso que temos uma epidemia de obesidade. Felizmente, há um jeito melhor.

A linha inferior? Seu peso é hormonalmente regulado. Se você reduzir os níveis de seu hormônio de armazenamento de gordura, a insulina, será mais fácil perder o excesso de peso.

Top 18 dicas de perda de peso
Você está pronto? Aqui vamos nós. Comece no topo da lista (mais importante) e desça o quanto você precisar. Clique em qualquer dica para ler tudo sobre isso. Talvez você só precise do primeiro conselho?

Escolha uma dieta baixa em carboidratos
Coma quando estiver com fome
Coma comida de verdade
Coma apenas quando estiver com fome
Meça seu progresso com sabedoria
Seja persistente
Evite frutas
Evitar cerveja
Evite adoçantes artificiais
Revise os medicamentos
Estresse menos, durma mais
Coma menos laticínios e nozes
Suplementar vitaminas e minerais
Use o jejum intermitente
Exercite-se sabiamente
Alcançar a cetose ideal
Obtenha seus hormônios verificados
Considere pílulas para perda de peso (se estiver desesperada)
Prefere assistir a um vídeo?
The 5 Most Imp
Dezoito dicas demais para você? Confira nosso popular curso de vídeo com os cinco mais importantes. Inscreva-se para receber atualizações gratuitas e você terá acesso instantâneo a ele:
Insira o endereço de e-mail
Inscrever-se!

1. Escolha uma dieta baixa em carboidratos
Salada Keto Cobb com molho de rancho

Se você quer perder peso, você deve começar evitando açúcar e amido (como pão, macarrão e batatas). Esta é uma ideia antiga: há 150 anos ou mais, tem havido um grande número de dietas para perda de peso com base na ingestão de menos carboidratos. O que há de novo é que dezenas de estudos científicos modernos provaram que, sim, a baixa carb é a maneira mais eficaz de perder peso.

Obviamente, ainda é possível perder peso em qualquer dieta – basta comer menos calorias do que você queima, certo? O problema com este conselho simplista é que ele ignora o elefante na sala: Fome. A maioria das pessoas não gosta de ‘comer menos’, ou seja, ficar com fome para sempre. Isso é dieta para masoquistas. Mais cedo ou mais tarde, uma pessoa normal vai desistir e comer, daí a prevalência da “dieta yo-yo”.

A principal vantagem da dieta baixa em carboidratos é que ela faz com que você queira comer menos. Mesmo sem contar as calorias, a maioria das pessoas com excesso de peso ingerem muito menos calorias em carboidratos baixos. Açúcar e amido podem aumentar sua fome, enquanto evitando-os pode diminuir seu apetite para um nível adequado. Se o seu corpo deseja ter um número adequado de calorias, você não precisa se preocupar em contá-las. Assim: as calorias são contabilizadas, mas você não precisa contabilizá-las.

Um estudo de 2012 também mostrou que pessoas com uma dieta baixa em carboidratos queimaram mais 300 calorias por dia – enquanto descansavam! De acordo com um dos professores de Harvard por trás do estudo, essa vantagem “seria igual ao número de calorias normalmente queimadas em uma hora de atividade física de intensidade moderada”. Imagine isso: uma hora inteira de bônus de exercício todos os dias, sem se exercitar. Um estudo posterior, ainda maior e com mais cuidado, confirmou o efeito, com diferentes grupos de pessoas com dietas baixas em carboidratos queimando uma média entre 200 e quase 500 calorias extras por dia.1

Bottom line: Uma dieta baixa em carboidratos reduz a fome e torna mais fácil comer menos. E pode até aumentar sua queima de gordura em repouso. Estudo após estudo mostra que a baixa carb é a maneira inteligente de perder peso e que melhora importantes marcadores de saúde.

Saiba mais sobre keto e low-carb
Você quer saber mais sobre exatamente o que comer em carboidratos, exatamente como fazê-lo, possíveis problemas e soluções … e muitas ótimas receitas? Confira nosso guia para iniciantes. Alternativamente, você pode tornar o baixo nível de carboidrato ainda mais simples inscrevendo-se em nosso desafio gratuito de duas semanas.

Planejador de refeições e centenas de vídeos
Obtenha a experiência completa de Diet Doctor com planos ilimitados de baixo consumo de carboidratos e refeições cetônicas, listas de compras e muito mais com um teste de associação gratuito.

Leia também: Womax funciona

Inscrever-se!
Como comer um curso de vídeo ceto

Curso de vídeo com baixo teor de carboidratos
Você quer assistir a um vídeo de 11 minutos de alta qualidade sobre como consumir carboidratos com baixo teor de gordura (ceto)? E sobre as coisas mais importantes para pensar? Inscreva-se para obter atualizações gratuitas e você terá acesso instantâneo:
Insira o endereço de e-mail
Inscrever-se!

2. Coma quando estiver com fome
Coma quando estiver com fome
Não tenha fome. O erro mais comum ao iniciar uma dieta baixa em carboidratos: Reduzir a ingestão de carboidratos enquanto ainda tem medo de gordura. Carboidratos e gordura são as duas principais energias do corpo

Segundo a enquete que as leitoras votaram o assunto escolhido foi creme para estrias.

Segundo a enquete que as leitoras votaram o assunto escolhido foi creme para estrias.

Usou algum produto para estrias que gostou muito? Vale também expor sua opinião sobre tratamentos estéticos feitos em clínicas. Seja sua experiência boa ou ruim, compartilhe conosco nos comentários!

Atualização: Os comentários já foram analisados e os melhores cremes para estrias foram compilados no post O Melhor Creme para Estrias.

Saiba mais: Estrifree funciona

A estria se forma quando a pele é excessivamente esticada, ultrapassando sua capacidade de distensão. Ela se rompe e suas bordas, ao cicatrizarem, formam uma linha deprimida na superfície da pele.

O problema, que atinge mais as mulheres, pode estar presente em qualquer parte do corpo, mas sempre atacam as áreas mais femininas, como bumbum, seios e barrigas. Para cada lugar e tipo de estria é indicado um tratamento.

A prevenção é a melhor forma de tratamento. Como? Hidratando e nutrindo a pele ao máximo para garantir sua elasticidade e impedir a ruptura de suas camadas internas.

Dietas para emagrecer

Dietas para emagrecer

O cérebro humano foi moldado numa época de extrema penúria. Ao longo de toda a história da evolução, a humanidade nunca obteve alimentos com facilidade. Para consegui-los, havia que correr atrás deles e gastar muita energia. Depois, diante da presa abatida, era preciso comer o máximo possível para acumular reservas e enfrentar os períodos de jejum que se seguiriam.

Hoje, os tempos são outros. Para parte expressiva da humanidade, são tempos de fartura e comodidade. Alimentos de alto valor energético e grande conteúdo calórico estão aí, em abundância, e podem ser conseguidos com mínimo esforço.

Pegar um indivíduo criado em época de penúria e colocá-lo diante da geladeira cheia, do disque-pizza, da churrascaria rodízio, de sanduíches transbordando recheios, é expô-lo a uma tentação que não está preparado para resistir. Por isso, a obesidade está se transformando uma doença que acomete homens, mulheres e crianças num verdadeiro problema de saúde pública.

HERANÇA GENÉTICA

Drauzio – O que você acha da expressão “dietas para emagrecer”?

Alfredo Halpern – Detesto. Pior do que ela só a palavra regime. Sabe por que as detesto? Primeiro, porque são palavras que indicam restrição. Por isso, todo o mundo tem antipatia por regime e dieta. Segundo, porque parecem indicar algo provisório. É uma questão de filosofia. A pessoa que nasceu para ser gorda, se fizer qualquer coisa provisória, emagrece um pouco e volta a engordar.

Drauzio – O que você entende por “pessoa que nasceu para ser gorda”?

Alfredo Halpern – Atualmente está demonstrado que existem pessoas que nasceram programadas para serem gordas. Descendem de ancestrais que sobreviveram numa época de penúria, de falta de alimento, de vida dura, porque tinham um sistema genético aparelhado para estocar energia a fim de usá-la nos períodos de escassez. Quem são essas pessoas? Somos nós, é a grande maioria. Indivíduos que não engordam, os que chamo de “magros de ruindade”, são cada vez mais uma exceção no mundo de hoje.

No Brasil, 40% das pessoas estão com excesso de peso e, se continuar nesse ritmo, daqui a 20 anos, vai existir mais gente gorda do que gente magra, porque pelo menos 60% da população estará acima do peso.

Drauzio – Fiquei impressionado com um mapa dos Estados Unidos em que estavam registrados os índices de obesidade ou excesso de peso calculados em 1991 e 2001 em vários estados americanos. Nesses dez anos, o peso da população aumentou mais de 50%.

Alfredo Halpern – Conheço esses dados. O impressionante é que o ganho de peso vem ocorrendo com mais nitidez nos últimos 10 ou 15 anos. Nesse período, estourou a prevalência de obesidade, apesar de todas as dietas espalhadas pelas livrarias, bancas de jornal ou divulgadas pela mídia.

VARIEDADE DAS DIETAS

Drauzio – Há inúmeras dietas mesmo. Existem aquelas respaldadas em princípios mais sérios como a do Dr. Atkins, por exemplo, e outras como a do abacaxi e da Lua sem base científica alguma. Há algum denominador comum entre elas?

Alfredo Halpern – Acho que sim. Nos livros que escrevi com o jornalista Claudir Franciatto, “Desta vez eu emagreço!” e “Magro para sempre!”, está contada a história real de um sujeito, o Claudir Franciatto, que experimentou todas as dietas do mundo, porque queria emagrecer de qualquer maneira. Ele chegava a perder peso, mas logo voltava a engordar. Juntos, estabelecemos uma espécie de filosofia para ajudá-lo a perder peso e a manter-se magro. Mesmo tendo conseguido emagrecer 40 kg, só escrevemos o livro “Magro para sempre!” depois que o novo peso foi mantido por dois anos.

Na minha opinião, a única dieta que funciona é aquela em que o indivíduo come o que gosta, observando, porém, certa contenção. Aí, ele faz dieta a vida inteira e não engorda mais. Já regimes e dietas milagrosas trazem resultados temporários. O que há de comum entre eles? Em primeiro lugar, a esmagadora maioria busca sucesso comercial. Seus autores sabem que é vasto o campo de pessoas interessadas em emagrecer e dispostas a fazer qualquer coisa para alcançar esse propósito. Segundo, são dietas sem nenhuma base científica e que não surtem efeito a longo prazo.

A dieta que proponho nada tem de especial. A pessoa pode comer de tudo. Simplesmente, são atribuídos pontos aos alimentos para poder medir, contar o conteúdo energético daquilo que é ingerido.

Drauzio – A curto prazo, no entanto, essas dietas fazem perder peso, porque se baseiam na restrição calórica.

Alfredo Halpern – Sempre brinco que a dieta do brigadeiro é excelente. A pessoa emagrece comendo brigadeiro. Come seis por dia e mais nada! Houve um tempo, por exemplo, em que uma dieta chamada Beverly Hills fez muito sucesso. Era mais ou menos assim: você pode comer o que quiser, desde que seja abacaxi. Desse jeito, qualquer um emagrece. O segredo é continuar magro. Usei o termo magro, embora não o considere o mais adequado. Às vezes, o indivíduo não consegue tornar-se magro, mas emagrece bastante e mantém o novo peso para o resto da vida.

Veja também: Dietas extravagantes

DENSIDADE ENERGÉTICA DOS ALIMENTOS

Drauzio – O excesso de peso tem duas vertentes. Uma é a ingestão de alimentos altamente calóricos. Você pode comer um queijo que tenha 50% menos calorias do que outro. A outra é a quantidade daquilo que se come. Como você orienta as pessoas nesse sentido?

Alfredo Halpern – O que está assumindo importância agora é o que se chama de densidade energética, ou seja, quantas calorias existem em determinada porção de alimentos. Por exemplo, o queijo tem alta densidade energética, porque um pedaço pequeno contém muitas calorias. Alface, couve, verduras (em geral o menos gostoso) têm poucas calorias em grandes volumes. O ideal é comer um volume maior de alimentos com poucas calorias para satisfazer o estômago. Isso não quer dizer que não se possa comer queijo, feijoada e churrasco. A questão é ter bom senso para equilibrar as refeições.

Drauzio – Você vai a um jantar e servem uma salada. Você está morrendo de fome e come um bom prato. Depois servem a carne e só de olhar a boca enche de água. Você não acha que existe uma motivação interna selecionada evolutivamente que nos leva a preferir alimentos altamente calóricos?

Alfredo Halpern – Disso eu tenho certeza. O estudo da obesidade está evoluindo de tal maneira, que já não se discute mais a existência de neurônios no cérebro que reagem à visão da carne ou de um doce e despertam o desejo de comer esses alimentos. Por isso, não acredito e não gosto quando dizem que o gordo é sem-vergonha porque come muito. Ele come porque tem fome ou apetite. A necessidade de comer doce, por exemplo, é comuníssima principalmente nas mulheres. Ela é provocada pela diminuição das concentrações cerebrais de uma substância chamada serotonina.

RESISTÊNCIA AO APELO DA FOME

Drauzio – Parece que o ser humano resiste menos à fome do que à dor. Muita gente com dor na coluna toca a vida normalmente. Com fome, a impressão é que fica difícil fazer alguma coisa.

Alfredo Halpern – O grande problema é que, se não comer, a pessoa morre, o que na maioria das vezes não acontece quando ela sentir dor. Comparar, por exemplo, comer com fumar é outro erro. Não existe necessidade biológica para fumar, mas para comer existe. Se a pessoa consegue deixar de fumar, sua vida melhora muito. Se parar de comer, definha e morre. A alimentação é indispensável para sobrevivência de todos nós.

Além disso, estamos cada vez mais aparelhados para engordar não só pela fartura de comida como pela fartura de conforto. Hoje, tudo é projetado para moderar o gasto de energia. Os carros têm direção hidráulica, são hidramáticos e os vidros sobem e descem com um simples apertar de botões. Já foi calculado, por exemplo, que uma única extensão telefônica numa residência representa um ganho de peso de 1,100 kg por ano.

Antigamente, só existia um aparelho telefônico em cada casa. Alguém chamava – “Fulano, telefone para você” – e a pessoa tinha de se movimentar até o lugar onde estava o aparelho. Andava, subia ou descia escadas, atendia o chamado e percorria o caminho de volta.

Agora o celular está ao alcance da mão. Não é preciso dar um passo para atendê-lo. Se não houver uma profunda reformulação no estilo de vida, todo o mundo vai ser gordo em poucos anos.

DIETA DO DR. ATKINS

Drauzio – O que você pensa a respeito da dieta do dr. Atkins? Eu mesmo já vi várias pessoas perderem peso com ela?

Alfredo Halpern – Certa feita fui convidado para falar num congresso sobre diabetes. O tema proposto era a dieta do dr. Atkins analisada sob critério científico. Minha primeira reação foi recusar o convite – não vou falar a respeito de charlatanices. Depois, decidi pesquisar intensamente o assunto e fui ao congresso que redundou num artigo publicado no “The New England Journal of Medicine”. Conclusão: a dieta do dr. Atkins funciona, faz perder peso. A curto prazo faz perder mais peso do que as outras dietas. A longo prazo, porém, o resultado não é diferente. As pessoas voltam a engordar, porque ninguém aguenta comer o mesmo tipo de alimento indefinidamente. Só funciona a dieta que permite comer de tudo, mas com parcimônia e moderação.

Além disso, a longo prazo, dietas ricas em gordura como a do dr. Atkins predispõem a doenças cardiovasculares e ao diabetes, porque acabam comprometendo as funções do pâncreas, órgão que produz insulina.

SISTEMA DE PONTOS

Drauzio – Que tipo de orientação você dá aos pacientes? Você lhes diz o que e quanto podem comer por dia?

Alfredo Halpern – Não gosto de dietas muito estruturadas. Por isso criei o Sistema de Pontos há mais de 30 anos.

Saiba mais: Kifina o que é

Alfredo Halpern – O Sistema de Pontos é uma filosofia, não uma dieta. Eu me formei em 1966 e, quando fui trabalhar no consultório, em 1969, já tinha feito residência em clínica médica, estava fazendo endocrinologia e aprendia de tudo, menos como resolver o problema da maioria de meus pacientes: o excesso de peso. Na verdade, de 70% a 80% da clientela de um endocrinologista é constituída por gente que quer emagrecer. Diante disso, pensei: já que o problema é esse, vou tentar resolvê-lo direito.

Naquela época havia pouco material sobre obesidade. Agora, há uma enxurrada tão grande que não é mais possível acompanhar tudo o que se publica a respeito do tema.
Observando o que acontecia, minha primeira conclusão foi que todo o mundo fazia uma dieta burra, parecida com a do dr. Atkins: carne, verdura, duas colheres de arroz, uma de feijão, salada e quatro frutas por dia. Consequentemente, ninguém aguentava segui-la por muito tempo. Foi, então, que me surgiu a ideia de que uma dieta só funciona se o indivíduo puder comer de tudo. Comecei, então, a catalogar os alimentos atribuindo a cada um deles uma unidade chamada pontos. Não se trata de nenhuma novidade, porque quem inventou os pontos foi Deus quando criou as calorias. Cada ponto vale 3,6 calorias. Atualmente, no meu site www.emagrecendo.com.br existem mais de 4 mil itens relacionados.

No Sistema de Pontos, a pessoa pode comer de tudo, mas precisa ir anotando o que comeu para controlar o número de pontos ingeridos num dia e que não pode ultrapassar uma quantidade previamente calculada de acordo com seu peso, idade, sexo e atividade física.
Não adianta nada a pessoa conhecer a tabela de pontos se não houver certa interação com uma nova filosofia que pressupõe conhecimento do processo e determinação.

”Hoje vou comer feijoada, mas amanhã farei refeições menores para compensar.” Nas dietas tradicionais o que acontecia? O sujeito quebrava o regime e comia feijoada. Pronto! Achava que tinha estragado tudo e desistia da dieta. No Sistema de Pontos, feijoada não é um prato proibido, desde que no dia seguinte a pessoa consiga compensar a extravagância ingerindo menos calorias.

COTA PESSOAL DE PONTOS

Drauzio – Sou médico formado há mais de 30 anos e quando alguém me pergunta quantas calorias pode ingerir por dia não sei responder.

Alfredo Halpern – Estabelecer esse dado é complicado e depende do peso, altura, sexo, atividade física e de quantos quilos a pessoa quer perder. A regra básica é que homens devem comer mais ou menos 30 calorias por quilo de peso. Se pesam 80 kg, portanto, devem ingerir 2.400 calorias. Saber isso não adianta praticamente nada se a pessoa não souber quantas calorias cada alimento contém.

A imprensa vira-e-mexe pergunta: “Dr., o que a pessoa precisa fazer quando quer emagrecer?” E eu sempre respondo: “Olhe, se fosse fácil, o Brasil inteiro seria um país de gente magra”.

É difícil encontrar uma pessoa que não saiba que alimentos ricos em gordura e açúcar ajudam a engordar. No entanto, é preciso aprender a enfrentar esses inimigos para vencer a batalha, porque em algum momento eles vão aparecer na nossa frente.

Drauzio – Hoje o mercado de alimentos está inundado de alimentos diet e light. Esses alimentos podem ser ingeridos à vontade?

Alfredo Halpern – Existe um estudo mostrando que o consumo de alimentos light e diet corre paralelo ao ganho de peso dos indivíduos. Claro que se trata de um viés na análise. O fato é que quem se preocupa com excesso de peso, isto é, 80% a 90% da humanidade, tende a escolher esse tipo de alimentos, o que não quer dizer que possa comê-los ou bebê-los à vontade. Nada tenho contra eles, mas alguma coisa está errada. A oferta de produtos novos que se encaixam nessa categoria aumenta a cada dia, embora os casos de obesidade estejam crescendo assustadoramente.

Como médico, às vezes, me sinto frustrado. Há anos vou aos meios de comunicação, explico o que está acontecendo e alerto a população sobre os riscos dessa doença que é a obesidade. No entanto, me parece que as pessoas recebem uma informação diferente daquela que os médicos tentam transmitir.

Os laboratórios Roche e Abott, interessados no assunto porque produzem medicamentos para controle da obesidade, fizeram uma pesquisa para saber o que as pessoas pensavam a respeito do excesso de peso e por que queriam emagrecer. Descobriram que o motivo primordial não é a saúde. É a autoestima. Elas querem sentir-se bem. Não pensam que podem morrer por causa da obesidade. Acham que isso não vai acontecer com nenhuma delas. Algumas chegam às minhas mãos em péssimas condições. Olho para elas e tenho a impressão de que não vão viver um ano. Estão com diabetes, pressão alta, colesterol elevado, respiram mal. Quando lhes pergunto como se sentem, invariavelmente respondem: “Estou bem, doutor”. Não tenho dúvida, porém, de que se conseguirem emagrecer, o quadro clínico melhorará muito e sua qualidade de vida também.

Drauzio – Sou corredor de maratona. Às vezes, fica difícil acreditar como certas pessoas com excesso de peso conseguem correr 42 km sem parar. Essas pessoas precisam emagrecer?

Alfredo Halpern – Essas pessoas diminuíram um fator de risco que é o sedentarismo, mas continuam expostas a outro fator de risco importante: a obesidade. De qualquer forma, se compararmos duas pessoas com os mesmos quilos a mais, a que não corre tem maior probabilidade de sofrer infarto ou derrame cerebral.

Drauzio – Essa preocupação com o emagrecimento pode virar uma neurose. O indivíduo passa a vida perseguindo um peso ideal que nada tem a ver com suas características orgânicas.

Alfredo Helpern – Em geral, é um peso inatingível. Existem pesquisas, e minha experiência não é diferente, mostrando que as pessoas estabelecem como meta a atingir um peso impossível. Vamos citar um exemplo. O indivíduo pesava 100 kg, emagreceu, chegou aos 80 kg, mas quer pesar 65 kg. Não está satisfeito apesar de ter perdido 20% do peso, o que lhe trará benefício enorme segundo todos os estudos a respeito do assunto. Se mantiver esse novo peso para sempre, seu caso foi um sucesso, mas ele se sente fracassado, porque não conseguiu pesar o que havia previamente imaginado.

DOENÇA CRÔNICA

Drauzio – Além de estar atenta aos hábitos alimentares, o que a pessoa deve fazer para manter o novo peso?

Alfredo Halpern – A pessoa precisa saber que tem uma doença crônica, de caráter orgânico, chamada obesidade. Ela pode não estar doente naquele momento já que conseguiu perder peso, mas é doente, porque seus genes estão aparelhados de tal forma que ela será obesa se não tomar cuidado. Depois, precisa aprender a enfrentar as “forças engordativas”, termo que criei para designar inimigos que estarão presentes durante toda a sua vida. Se a pessoa que emagreceu, conseguir manter o novo peso por um bom tempo, as forças engordativas ficarão mais débeis. Caso contrário, se fortalecem. O organismo fica impaciente e quer recuperar o que foi perdido. É o famoso ioiô ou efeito sanfona – engorda, emagrece; engorda, emagrece – que acontece com muita gente. Pelo que se sabe hoje, é melhor a pessoa continuar gorda do que se expor a essa perda e ganho de peso, pois o efeito sanfona é causa de inúmeras doenças.

Drauzio – Não se pode esquecer de que, quando ocorre perda de peso, o cérebro tende a fazer o organismo voltar ao peso inicial.

Alfredo Halpern – Se a pessoa que pesava 120 kg chega aos 80 kg e consegue manter esse peso por dois anos, a tendência para voltar ao peso antigo é menor. Durante o processo de emagrecimento vão ocorrendo platôs. O inverso é verdadeiro quando engordamos. Aos 20 anos, o indivíduo pesa 70 kg. Com 30, 75 kg. Aos 40, 85 kg, porque o organismo vai tendo memória dos novos pesos. Quando ele chega aos 100 kg, é preciso perder peso e ajustar de novo a sintonia. Isso exige prática. Leva tempo. O Claudir Franciatto descreve esse processo no livro que escrevemos. Se baixar a guarda, qualquer um recupera o peso num instante.

Drauzio – Você acha que as mães têm um pouco de responsabilidade nesse processo de ganho de peso, já que insistem para os filhos pequenos comerem tudo. “Olhe, menino, se não raspar o prato, hoje não tem sobremesa”.

Alfredo Halpern – Embora os casos de obesidade infantil estejam aumentando, não acho que o problema seja só de responsabilidade dos pais. Na verdade, o comportamento deles está mudando. Mesmo assim, como dizia Freud, as mães continuam sendo sempre culpadas.

ESTRESSE TAMBÉM ENGORDA

Drauzio – Os adolescentes comem muito e não engordam. Aos 50 anos, querem manter o padrão alimentar dos 20 anos e obviamente ganham peso.

Alfredo Helpern – É uma pena, mas isso acontece. Eu, por exemplo, comia mais antes do que agora e venho engordando. Sabe por quê? Porque à medida que o tempo passa, gastamos menos calorias e, infelizmente, nosso organismo vai transformando músculo em gordura. Além disso, a cada dia surgem mais evidências de que o estresse é um fator engordativo. A elevação dos níveis de cortisol está diretamente ligada à carga de estresse e ao aumento de peso.

Drauzio – O estresse faz engordar porque provoca alterações no metabolismo ou porque as pessoas estressadas comem mais?

Alfredo Halpern – As duas coisas. As pessoas pensam que estresse engorda, porque elas comem mais. Não é só por isso. Estresse engorda, porque provoca alterações metabólicas. Infelizmente, nossa geração e as que estão vindo depois de nós têm que aprender a lutar contra mais essa força engordativa que o estresse representa.

Óleos Corporais Bons e Baratos

Óleos Corporais Bons e Baratos

Eu adoro óleos corporais, mas opto, quase sempre, pelos vegetais, pois os benefícios são infinitamente maiores. Mas, sempre que falo de “óleo de banho”, muitas meninas pedem sugestões de produtos baratos e facilmente encontrados, mesmo que não sejam óleos 100% vegetais, e como vocês mandam, eis aqui uma seleção dos que já usei e gostei!

Leia também: Óleo de Argan

O Melhor: Óleo de Amêndoa com Colágeno – Muriel

Não sei se vende em todo lugar, mas eu adoro tanto o óleo como a manteiga corporal da Muriel!

Ele é enriquecido com colágeno, vitamina E e ativos emolientes que garantem a hidratação e ajudam na manutenção da elasticidade da pele, e realmente deixa a pele macia e sedosa.

Querem saber a melhor parte? É cheiroso, não é pegajoso e custa menos de 4 Dilmas ( o potinho com 100ml)! Meu coração pão-duro vibra!

Capturas de tela2

🔥HIDRATAÇÃO CASEIRA🔝🔥
🔝Hidratações caseiras ⬅
🔝Hidratação profunda caseira ⬅
🔝Óleo de coco no cabelo ⬅
🔝Hidração com azeite⬅
🔝Cronograma Capilar Oficial ⬅
Óleo de Calêndula – Granado

Eu adoro os produtos da Granado, e já usei muito esse óleo, na época em que calêndula era meu vício (sim, usava o óleo de calêndula e, pra “combinar”, o shampoo Darling de calêndula! Breguice mor define! Hahaha). Sei que existem outros “cheirinhos” e até já falei de um por aqui, mas gosto super desse.

Ele contém óleo de oliva, vitamina E e óleos essenciais, o que facilita a absorção do produto e, além disso, não contém corantes.

Custa, em média, 18 Dilmas e pode ser encontrado em farmácias e também na loja virtual da marca.

Óleo Infantil Lavanda – Granado

Eu adoro óleo infantil! Aliás, adoro produto infantil, e esse óleo é uma delicinha! Contém óleo de oliva, vitamina E e é indicado para peles sensíveis. Como não contém corantes, reduz bastante o risco de alergias.

O cheirinho de lavanda é bem relaxante e ele custa 14 Dilmas.

Óleo De Amêndoas Paixão

Quem nunca usou? É um clássico BBB!

+DICAS DE CABELOS🔝 🔥
🔝Botox capilar
🔝Cabelo Crescer Rápido
🔝Simulador de cabelo
🔝Queratina no cabelo
🔝Realinhamento capilar
🔝Fazer luzes para o platinado
🔝Matizador caseiro
Já usei e não nego. mesmooo! Aliás, adorava o cheiro viu? O que não gosto é que quando a gente passa no corpo e entra em contato com a água, ele fica meio cremoso, meio branco., um troço estranho.

Mas, cumpre bem a função e custa, por aqui, menos de 10 Dilmas.

Óleo J&J Baby Amêndoa

Acho que esse óleo todo mundo tem ou já teve, seja para usar no corpo ou para retirar maquiagem dos óleos, tô certa?

Ele contém óleo de amêndoas, óleo mineral (snif, snif) e vitamina E, sendo indicado para peles secas.

Já usei muito no banho e o preço também é bom, menos de 15 Dilmas!

Óleo Para Banho Relaxante Bath Care – Nivea

Esse óleo é uma delicinha, porque se transforma numa espécie de espuma, sabe?

Como contém 55% de óleos essenciais, pantenol e óleo de rícino, me agrada muito, já que a pele fica bem macia.

Custa, por aqui, 15 Dilmas.

Óleo para Banho Corpo a Corpo Natural – Davene

Por menos de 7 Dilmas, esse óleo da Davene, que contém óleo de amêndoas e extrato de pétalas de rosas cumpre bem a sua função. O cheiro não me agrada muito, mas o resultado e o custo benefício são bem bons!

Máscaras faciais: o que são, para que servem e como as usar

Máscaras faciais: o que são, para que servem e como as usar

São o patinho feio dos produtos de beleza e deixam-nos com o ar de quem pôs a cara num bolo. Todas achamos que podíamos passar bem sem elas mas 15 minutos e uma máscara podem mesmo fazer milagres.

Leia também: o que é Máscara Preta

Limpeza, tónico, hidratante, creme… Acha que já tem a sua rotina de cuidados de pele completa? Não, está a saltar um passo muito importante — uma máscara facial. Sim, estamos a falar daquelas com que vemos as atrizes nos filmes de Hollywood, enquanto falam ao telefone na cama. Mas saiba que não é a única se pensar que as máscaras significam tratamentos em spa, ou mistelas feitas com receitas caseiras. Esqueça essa ideia. Hoje em dia, já é possível tratar do rosto e usufruir dos privilégios de um tratamento em casa, sem que, para isso, tenha de esvaziar o frigorifico à procura dos ingredientes certos. E se acha que este é um produto dispensável, o uso de uma máscara é uma das etapas obrigatórias de uma boa rotina de pele. O truque passa por saber escolher a certa e como a usar devidamente.

O que são?
As máscaras de beleza são fórmulas que, trocando por miúdos, contêm alta concentração de ingredientes ativos e, por isso, vão atuar como uma bomba na pele e fornecer uma nutrição profunda. Se já se está a perguntar “então porque é que tanta gente negligencia este passo?”, a resposta é simples: porque leva tempo. A maioria das máscaras faciais tem de atuar entre cinco a 15 minutos no rosto (com exceção de uma ou outra express que atuam por dois ou três minutos). E numa altura em que grande parte das marcas de cosméticos procura arranjar soluções rápidas, as máscaras continuam a ser um passo que requer algum esforço da nossa parte. Mas os benefícios são muitos: hidratar, desintoxicar, aumentar a circulação sanguínea e repor os nutrientes são apenas alguns deles.

Para que servem?
Se já usa um hidratante diariamente, usar uma máscara que também vai hidratar parece não fazer grande sentido, é verdade. Mas lembre-se dos cuidados que tem no banho. Além do champô e do amaciador não usa, semanalmente, uma máscara para tratar e restaurar o cabelo? (Se não usa, tem de começar a usar!) As máscaras faciais seguem a mesma lógica. São uma forma caseira e fácil de proporcionar uma espécie de guloseima à pele. Ao contrário dos cremes ou dos séruns, as máscaras não são absorvidas mas ficam à superfície da pele. Daí que são um complemento obrigatório porque, enquanto os restantes produtos tratam interiormente, a máscara dá um boost à superfície. Quer tenha uma ocasião especial em que queira ter a pele sem defeitos ou apenas para começar a semana com um aspeto radiante, há máscaras para todos os problemas que pode imaginar — pele seca, desidratada, com acne, oleosa, para rejuvenescer, para manchas…

Como as usar?
Pode parecer um filme de ficção científica. Mas aplicar uma máscara é literalmente o passo mais fácil da rotina de beleza porque não tem de se preocupar com a ordem correta dos produtos ou se há qualquer modo de aplicação específico que tenha de ser realizado. É simplesmente colocar, esperar e lavar. E independentemente do tipo de máscara que está a usar, o step-by-step é sempre o mesmo.

Antes de mais, o rosto deve estar devidamente limpo e esfoliado antes de aplicar qualquer máscara. Assim, comece por passar o rosto por água quente (ou molhe uma toalha o mais quente que conseguir suportar, e deixe-a repousar no rosto durante dois minutos), para abrir os poros, limpe bem e, de seguida, aplique a máscara por todo o rosto numa camada única. E depois? Bem, depois pode beber um copo de vinho, ou espreitar o Instagram, ou folhear uma revista, ou ler as novidades do Observador…. durante cinco a 15 minutos (cada máscara especifica o tempo adequado). Et voilá, está pronta para retirar tudo com água e aplicar os seus habituais produtos de beleza.

Quando usar?
Quando quiser mas, no máximo, duas vezes por semana. O domingo à noite é o dia ideal porque, além de relaxar e desintoxicar a pele de todas as agressões que sofreu durante a semana, está a prepará-la para a semana que virá.

Entre máscaras express de três minutos, máscaras para pele cansada, com efeito lifting, anti-borbulhas, com ação esfoliante, para proteger do frio e até para peles depois dos 50 anos, há opções para todos os gostos. Veja as nossas sugestões na fotogaleria em cima.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.
A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

7 receitas de chá de gengibre para acelerar o metabolismo e a digestão

7 receitas de chá de gengibre para acelerar o metabolismo e a digestão

O gengibre é uma planta que ajuda a acelerar o metabolismo, a queimar calorias e a facilitar a digestão. Além disso, quando misturado com outros ingredientes, como chá verde e limão, por exemplo, pode se tornar um ótimo termogênico natural.

Chás que levam gengibre são também ótimos aliados pra quem tem problemas com retenção de líquidos e para quem está tentando emagrecer.

Confira sete receitas especiais de chá que tem o gengibre como um dos ingredientes principais:

1. Chá de abacaxi, gengibre e hortelã

Coloque as cascas do abacaxi, o gengibre e as folhas de hortelã na água e leve ao fogo por uns 15 minutinhos, até ferver. Se preferir, você pode colocar um pouco de açúcar também. Por último, leve à geladeira e deixe esfriar.

Leia também: chá de gengibre emagrece

2. Chá de gengibre com cravo e canela
FOTO: REPRODUÇÃO / AQUI NA COZINHA
Esse é um chá perfeito para os dias frios! Pensada para ser servida quentinha, essa receita conta com açúcar, gengibre, cravos e canela para garantir seu sabor. A cor final do chá deve ser um dourado tipo cor de guaraná e de caramelo.

3. Chá verde com laranja, limão e gengibre
FOTO: REPRODUÇÃO / AQUI NA COZINHA
Aprenda a fazer um chá gelado delicioso! Para três copos, você vai precisar de três sachês de chá verde, três xícaras de água, um pedaço de gengibre, suco de meio limão, suco de uma laranja, gelo, rodelas de limão e laranja, e açúcar ou adoçante a gosto.

4. Chá gelado de hortelã, gengibre e limão
FOTO: REPRODUÇÃO / SIMPLESMENTE DELICIA
Mais uma receita de chá gelado para refrescar seu dia. Aqui, os ingredientes são água filtrada, saquinhos de chá verde, pedaços grandes de gengibre, um maço de hortelã e suco de limão peneirado. Adoce a gosto antes de levar para gelar.

5. Chá verde de limão e gengibre
FOTO: REPRODUÇÃO / PANELINHA SAUDÁVEL
Essa é uma receita muito simples de chá com gengibre! Você vai precisar de uma xícara de água, um sachê de chá verde, suco de meio limão e três lascas de gengibre para fazer essa bebida em casa. A dica é servi-la morninha!

6. Chá de abacaxi com gengibre
FOTO: REPRODUÇÃO / PITADINHA
Uma maneira deliciosa de reutilizar as cascas do abacaxi que normalmente iriam para o lixo é preparando um chá bem gostoso! O único outro ingrediente que vai neste preparo é o gengibre e você pode escolher se deseja servir a bebida quente ou gelada.

7. Chai latte

O Chai latte é uma receita de chá indiano que mistura chá preto, leite e algumas especiarias. As especiarias escolhidas para essa receita foram a canela, o cardamomo e gengibre ralado! Lembre-se de coar a mistura antes de servir.

Se você é apaixonado por receitas de chá, confira diferentes versões da bebida. É possível preparar chás quentes, gelados e até mesmo com ingredientes especiais!

Escolho produtos com eficácia comprovada na queda de cabelo.

Escolho produtos com eficácia comprovada na queda de cabelo

A queda de cabelo: um fenômeno natural. Em média, perdemos 50 cabelos por dia, que felizmente são substituídos por novos. Em algumas circunstâncias, a queda de cabelo pode ser significativa (Outono, stress, fadiga, doenças…). Em caso de calvície, os cabelos nem sempre são substituídos.

É frequente consultar-se o dermatologia devido a queda de cabelo?
Todos os dias vemos pacientes com queda de cabelo.
Trata-se muitas vezes do aumento de uma queda fisiológica que afecta, sobretudo, as mulheres, durante o Outono ou a Primavera, altura em que o número de consultas aumenta. Também pode tratar-se de uma calvície real instalada, muitas vezes mal cuidada pelos homens mais jovens. A queda de cabelo é sempre um fenômeno de angústia para os pacientes.

Como trata a queda de cabelo, para além da calvície?
Primeiro, faço uma análise ao sangue (taxa de ferro, hormonas da tiroide).
Depois, explico o mecanismo da queda de cabelo. É importante para diminuir a ansiedade. Prescrevo preferencialmente suplementos alimentares (aminoácidos sulfurados: taurina, cistina) que permitem encurtar o período de queda. As loções anti queda podem ser eficazes. Escolho produtos com eficácia comprovada.

Leia também: queda de cabelo

Como tratar uma calvície incipiente?
Faço sempre uma análise hormonal.
Em caso de anomalia, existem vários tratamentos hormonais. Para o homem: existem tratamentos que podem bloquear a perda de cabelo. Recomendo loções à base de minoxidil (a 5%); finasterida, um tratamento oral muito eficaz. Estes tratamentos devem efectuar-se a longo prazo. Se forem interrompidos, a calvície volta a expandir. Alguns destes tratamentos não são comparticipados.

Saúde Feminina, como aliviar a cólica

Saúde Feminina, como aliviar a cólica

Hoje vim falar da saúde da mulher.
Creio que saúde é um assunto que é sempre bom estamos bem informadas e informados, para os homens de plantão que podem conhecer mulheres que sofrem de cólicas menstruais e podem ajudar suas parceiras a partir destas informações, bora lá?!

Muitas mulheres optam por usar medicamentos quando bate aquela dor, eu uso quando não estou mais aguentando, a recomendação médica (sim, eu falei com médicos) é que o uso dos medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios não-esteroides, comecem a serem usados 3 a 2 dias antes do primeiro dia da menstruação.

São indicados medicamentos, como, por exemplo, o Ibuprofeno, Paracetamol ou Ácido acetil salicílico, que atuam bloqueando a produção de prostaglandinas tendo efeito contra a dor e a inflamação.
Medicamentos antiespasmódicos, como o Atroveran ou o Buscopan, por exemplo, para diminuir as cólicas menstruais.
Pílulas anticoncepcionais hormonais, em alguns casos.

Lembrem-se antes de sempre consultar seu médico para saber qual o medicamento adequado para você.
Remédio é coisa séria, okay? Okay!

Leia também: Atroveran para cólica

O que pode ajudar e MUITO o alívio de cólicas menstruais é a nossa alimentação, vale a pena reforçar alguns que estão sempre presentes no nosso dia a dia.

Aumentar ingestão de alimentos como laticínios, vegetais escuros, soja, banana, beterraba, aveia, couve, abobrinha, salmão ou atum.
Evitar beber bebidas com cafeína, como café, chocolate, chá preto e refrigerantes, como coca-cola.
Evitar beber bebidas alcoólicas
Descanso, colocando a barriga para baixo apoiada em um travesseiro para a comprimir.
Colocar um saco de água quente sobre a barriga.
Evitar fazer esforços.
Beber muita água, acaba a menstruação mais cedo, foi comprovado, água é vida né amores?!

Muitos profissionais indicam o tratamento fisioterapêutico, como:

– Termoterapia através do calor, que vai estimular a irrigação sanguínea, relaxar a musculatura e aliviar o impacto das contrações do útero.
Aquela velha compressa de água quente da vovó.

– Massoterapia, que é um tipo de massagem por amassamento ou fricção que acalma, melhora a circulação e relaxa a musculatura, como a massagem reflexa, ayurvédica ou o shiatsu, por exemplo. Meu médico indicou e acho valido que seja dito, movimentos de yoga pode ajudar.

– Exercícios pélvicos que alongam os músculos, promovendo o seu relaxamento e aliviam a dor.

– Estimulação Nervosa Transcutânea, a TENS, em que através da colocação de elétrodos na pele na região lombar e pélvica é emitida uma corrente elétrica que não provoca dor e que estimula as terminações nervosas, aliviando a dor e a cólica. Nunca tentei esta, mais é recomendado para quem conhece uma clínica que seja especializada neste tipo de tratamento.

– Crioterapia, que é a aplicação de gelo sobre a pele que vai ajudar a aliviar a dor. E eu comecei a fazer isto, a pouco tempo, e nossa, ajuda muito. Alivia mesmo!

– Acupuntura em que através da colocação de agulhas em pontos chave pode ser possível diminuir a dor menstrual e regular o ciclo menstrual.
O tratamento fisioterapêutico é ótimo para substituir as medicações, claro, que em caso de dores absurdas, não é normal, cólicas menstruais abusivas é sempre bom procurar um médico e ver qual o melhor tratamento para você.
Essas dicas acima são recomendadas para qualquer tipo de pessoa, pois envolve uma boa alimentação e exercícios que é sempre bom colocar em prática para se manter saudável. Segue abaixo alguns exercícios.

Como emagrecer com detox em cápsulas

Se você é mulher e gosta de programas que mostram a vida das celebridades ou de ler tudo a respeito delas, então já deve ter visto que muitas delas utilizam o Detox para emagrecer, que é um tipo de dieta natural e saudável com objetivo de limpar o organismo das toxinas que prejudicam o bom funcionamento dos nossos órgãos internos e com isto dificultam o emagrecimento. Ao fazer uma dieta como esta, as toxinas e outras impurezas são eliminadas, o organismo trabalha com eficiência e o próprio corpo consegue dar conta de eliminar a gordura de forma natural, é por isto que Detox Funciona que é uma maravilha e as artistas e famosas estão utilizando isto em peso para perder peso em pouco tempo, além de ficar com a saúde melhor pois a desintoxicação traz uma série de benefícios além do emagrecimento.


Leia também: Phytophen funciona

Mas nem tudo é um mar de rosas quando falamos em dietas desintoxicantes, para dar realmente certo você tem que ser uma pessoa MEGA disciplinada para ir pra cozinha todos os dias e preparar receitas como os sucos verdes por exemplo, como você pode ver aqui, para fazer isto é preciso usar vários ingredientes como frutas, vegetais, legumes e outros: Então a primeira “chatisse” é que você precisa ir a uma feirinha comprar estes alimentos com frequência, no mínimo uma vez por semana e ainda tem a questão do custo que não fica barato ao comprar tanta coisa para fazer a dieta certinho.


Leia também: Kifina funciona

Além disso, ainda tem o tempo que você precisará gastar na cozinha todos os dias para preparar as receitas e depois limpar toda bagunça feita no processo. Por isto que hoje em dia vale muito mais a pena fazer o detox em cápsulas, existem ótimos produtos naturais para isto como o Emagrecedor Turbo Slim que você pode encontrar facilmente a venda na Internet.

Leia também: comprar Max Detox

Estes produtos possuem todas as vantagens de uma dieta detox e nenhuma das suas desvantagens, pois contém todos os componentes que você encontraria ao fazer um suco verde por exemplo, componentes que ajudam a desintoxicar o organismo, mas você não precisa preparar receitas, basta tomar umas duas cápsulas por dia e não comer porcarias durante o dia e o processo de limpeza do organismo vai ser o mesmo, gerando o emagrecimento também. Se achou interessante, clique aqui para ver mais sobre o Turbo Slim! Lembrando que o detox já foi comprovado por médicos e nutricionistas como um método super eficiente para melhorar a saúde e contribuir pra um emagrecimento saudável e eficiente, então você pode começar hoje sabendo que os resultados vão acontecer de verdade e em um curto espaço de tempo.

Leia também: Farinha seca barriga funciona