10 Passos para o Emagrecimento Saudável

10 Passos para o Emagrecimento Saudável

Sempre falo que, no processo de emagrecimento, o ideal é primeiro buscar a saúde, os hábitos saudáveis, e o emagrecimento será uma consequência dos novos hábitos.

Precisamos considerar a prática de atividades físicas, o gerenciamento do estresse e principalmente investir nosso tempo em entender de alimentação, compreender o básico da alimentação, saber diferenciar proteínas, gorduras e carboidratos.

A proteína é a construção, é o tijolinho da casa, precisamos dela para massa muscular, para a pele, para a produção de hormônios. As gorduras são necessárias para formar hormônios, para desintoxicar o corpo, para nossa imunidade, cérebro. Sobre os carboidratos, considere que todo carboidrato que entrar e não for consumido, queimado, virará gordura. Se tudo o que vier em excesso vira gordura, obviamente a regra aqui é não abusar dos carboidratos. Não podemos viver sem carboidratos, não é possível simplesmente cortar o consumo deles, mas no momento em que sabemos da sua importância na nossa dieta, devemos aprender sobre eles, devemos pesquisar e conhecer os alimentos, principalmente no que diz respeito à sua carga glicêmica.

Conhecendo as cargas glicêmicas, opte sempre pelas cargas mais baixas, pois são mais saudáveis. Proteínas, gorduras e carboidratos, os 3 são essenciais, mas apenas os carboidratos vão virar gordura. E não esqueça do equilíbrio hormonal.

Proponho aqui 10 passos importantíssimos para um emagrecimento saudável:

1. FAÇA SUBSTITUIÇÕES

A primeira substituição seria o glúten, prefira sempre alimentos sem glúten. Mas não adianta se entupir de farinhas todas outras e industrializados! Diminuir glúten é no sentido de diminuir farinhas, onde a de trigo é a pior e mais inflamatória! Diminua o leite, corte o açúcar, aqui recomendo que corte mesmo, tente não substituir, caso não consiga troque o açúcar por Stevia, mas nunca use adoçantes a base de aspartame ou sucralose, sempre prefira os a base de stevia, Taumatina e Xylitol. Substitua todos os óleos por óleo de côco ou banha de côco extra virgem. Com exceção do óleo de côco, todos os outros óleos se transformam em gorduras trans, que são substâncias tóxicas e inflamatórias para o nosso corpo.

Desapegue do refrigerante, considerado o alimento mais tóxico que existe no mercado, verdadeiro veneno feito para viciar. Desapegue dos sucos de caixinha, se você tem sede, beba água, se tem fome, coma a fruta.

2. QUANTAS REFEIÇÕES DIÁRIAS?

Aconselho que não siga regras aqui. Depende de inúmeros fatores individuais. O fato é que não devemos comer carboidratos em excesso e, só conseguimos realizar este passo, quando pensamos em comer mais proteínas e gorduras boas que combinados, geram saciedade. Opte por carboidratos de baixa carga glicêmica como a batata doce e a maçã, e por boas fontes de proteínas, nas animais as carnes, nas vegetais a quinoa, a lentilha, o feijão branco. Quanto às gorduras, aproveite os benefícios do abacate, das oleaginosas, do coco, azeite de oliva, gema do ovo.

Leia também: comprar Phytophen 

3. FAÇA TESTES

Experimente ficar alguns dias sem glúten por exemplo, fique 24 dias sem ingerir nenhum alimento que contenha glúten, visto que não existe absolutamente NADA dentro do trigo que só exista nele e que seja vital. Passado o teste do glúten, faça o teste da lactose, pois muito comum que alterações intestinais imperceptíveis leve a uma alteração de sua microbiota e passe a gerar inflamação sub-clínica, com má absorção nutricional e desvios de funções metabólicas. Estes são os alimentos que mais comumente têm desequilibrado a integridade intestinal, mas até o Ovo contém uma proteína com possível efeito alergênico (infelizmente, pois o Ovo é o alimento mais completo que a natureza nos fornece). Depois de analisar a sua sensação, você pode decidir se quer estes componentes na sua vida.

4. AVALIE, O MOTIVO PELO QUAL MUDAR A SUA VIDA E APOSTAR NO EMAGRECIMENTO

Agora que já conhece os alimentos, é preciso pensar na necessidade de emagrecer, ou seja, o porque você está fazendo isso. Procure um profissional e tenha uma avaliação séria do que você precisa melhorar, procure orientação para que as perdas sejam apenas de massa gorda e não de massa muscular.

5. UM PASSO DE CADA VEZ.

Uma mudança pequena e constante é melhor do que uma mudança radical e temporária. Estabeleça metas. Um passo de cada vez, se movendo lentamente em direção a sua meta, com certeza é melhor do que não sair do lugar. Não tenha em casa alimentos que não sejam saudáveis, pois assim não existe riscos de cair em tentação de consumí-los.

Leia também: Kifina funciona

6. ATIVIDADES FÍSICAS: POR QUE FAZER?

Como escolher? Nosso corpo não foi gerado para ser sedentário, fomos feitos para viver em constante movimento, nosso corpo é uma máquina maravilhosa que nos proporciona diversas possibilidades de atividades que vão ajudar não apenas na sua boa forma mas também no seu bom humor e qualidade de vida, incluindo o seu sono. De acordo com a sua possibilidade, se tem disponível apenas 1 hora por dia, exercite-se durante esta uma hora, se tiver apenas meia hora, use-a da melhor maneira possível, o que importa é não ficar parado. Uma boa ideia é começar com a caminhada, mas vá além e não dispense a musculação. Caso consiga correr, prefira intervalados (oscilações entre caminhadas e corridas).

7. TEMPERATURA BASAL E SINAIS DE DEFICIÊNCIAS HORMONAIS

É muito importante ser capaz de identificar a existência de alguma alteração hormonal. Desordens hormonais da tireóide são simplesmente diagnosticadas, e são extremamente comuns, muitos são os fatores, stress, alimentação equivocada, contraceptivos. Vou ensinar um teste simples, meça a temperatura maxilar por 5 dias, todas as manhãs, antes mesmo de sair da cama, e faça uma média. Se a média das 5 temperaturas for inferior a 36,5, você PODE ter uma hipofunção da tireóide. Problemas de tireóide devem ser investigados e tratados. Problemas de Testosterona, principalmente entre as mulheres que usam anticoncepcionais, também devem ser investigados. A diminuição dos níveis de Testosterona nos homens também causa muitos efeitos que atrapalham a perda de peso e a saúde. Problemas de sono, também podem indicar alterações hormonais, sendo causa ou consequência de hábitos.

8. QUAL O MELHOR TRATAMENTO PARA EMAGRECER?

96% das pessoas que optam por tratamentos para emagrecer voltam a engordar. Não existe fórmula mágica. Apenas o tempo, a discilpina e a força de vontade podem fazer você emagrecer com qualidade. A melhor dieta? Não se chama dieta, mas sim plano alimentar que se adapte a um estilo de vida saudável! Não acredite em milagres, medicamentos ou dietas que te fazem melhorar por um tempo e depois gerar efeito rebote ainda pior. Mude sua vida!

Leia também: comprimido para emagrecer

9. DICAS PRÁTICAS

Beba muita água. Cuide a ingestão de líquidos junto com as refeições. Caso necessite, recorra à suplementação. Opte por companhias que entendam e participem dos seus hábitos alimentares saudáveis e que não contribuam para lhe tirar do caminho que escolheu. Procure dicas e receitas na internet, estabeleça metas, se interesse pela sua saúde.

10. PORQUE TER O CORPO QUE VOCÊ SEMPRE SONHOU PODE MUDAR A SUA VIDA?

Imagine-se com o corpo que sempre sonhou e pense em como se sentiria. Qual seria a sua sensação ao conquistar o corpo dos seus sonhos?Imagine-se com ele, desfilando por aí, conscientize-se que você estará mais bonito, saudável e feliz. Feche os olhos e mentalize essa sensação todos os dias, durante todo o seu processo de emagrecimento.

Conheça a Perda de Peso Saudável

Conheça a Perda de Peso Saudável

A perda de peso é algo muito desejado por quase todas as pessoas nos quatro cantos do planeta. Todos querem ter aquela barriguinha sarada e estar em forma, principalmente quando o verão chega. Nesta época a perda de peso se torna uma febre, e existem inúmeras formas para se alcançá-la!

Alias existe a perda de peso intencional e a não intencional, a saudável e a nociva, em suma há uma dualidade entre esse tema muito polêmico. E não é de hoje que a perda de peso é um tema acadêmico muito estudado e debatido em diversos nichos da sociedade moderna.

Devemos entender onde a perda de peso é saudável e onde passa a ser prejudicial para o corpo humano. Cada pessoa tem uma fisiologia e um metabolismo diferente e portanto cada caso é um caso. A procura de um médico ou nutricionista passa a ser necessária nestes casos.

Porém na maioria dos casos uma perda de peso cai bem, devido ao nosso sedentarismo pleno dos dias modernos. A prática de atividades físicas balanceadas e com acompanhamento especializado também são muito indicadas no intuito da perda de peso. É um balanceamento entre hábitos alimentares, exercícios físicos e uma vida saudável. Não há como escapar, nenhuma cirurgia, nem dieta milagrosa vai lhe proporcionar uma perda de peso saudável e que não se transforme em um efeito sanfona em seu corpo.

Confira agora 8 dicas especiais para potencializar a perda de peso através de uma mudança de hábito alimentar saudável e que só pode te trazer benefícios.

Leia também: kifina anvisa

Não beba suas calorias
As calorias do vinho, café com chantili e do refrigerante não são registradas pelo centro de saciedade do cérebro. Por isso, você acaba ingerindo a mesma quantidade de sólidos, não importa o quanto você tenha bebido. Se você não abre mão de um cafezinho, certifique-se de que ele venha sem xaropes, caldas, cremes ou qualquer outro ingrediente cheio de açúcar e calorias.

Use iogurte
Se você está fazendo uma receita que pede creme de leite experimente trocá-lo por um produto com menos calorias como iogurte. Ele tem uma textura de creme mas possui bem menos calorias.

Coma os vegetais primeiro
Segundo a pesquisa, as pessoas comem mais da comida que chega primeiro ao prato, independentemente de qual é o alimento. Então, comece sua refeição pelos componentes menos calóricos como vegetais e legumes, depois parta para a proteína e, em seguida, coma os carboidratos.

Troque a massa
Tente substituir metade ou mais do seu prato de massa por abóbora espaguete. Uma xícara de espaguete normal possui cerca de 240 calorias, enquanto o espaguete abóbora possui apenas 40.

Coma sanduíches abertos
Dispensar uma fatia de pão pode poupar no mínimo 80 calorias por sanduíche. Outra dica é trocar a maionese por mostrada, economizando assim cerca de 90 calorias por colher de sopa.

Adoce seu iogurte
Ao invés de comprar iogurte com sabor, que é geralmente pré-adoçado com uma tonelada de açúcar, compre iogurte natural e adoçante você mesma. Adicione frutas ou uma colher de chá de mel para dar sabor ao produto.

Não tempere a salada
Mergulhe o garfo no tempero de sua salada ao invés de jogá-lo sobre as folhas. Dessa forma você usará menos molho, que pode ter mais de 100 calorias por colher de sopa.

Troque salgadinhos por picles
Se você adora salgadinhos crocantes, tenha picles na geladeira para substituir esses produtos industrializados. Cada picles tem apenas 4 calorias, porém, seu consumo não deve ser exagerado já que possui grandes quantidades de sal que podem gerar inchaço.

Perda de Peso Não Intencional
Há esses casos que nós chamamos de perda de peso não-intencional. Ou seja, é quando uma pessoa perde peso mesmo sem estar fazendo dieta ou praticando exercícios. A perda de peso não-intencional pode ser resultado tanto de um metabolismo mais acelerado quanto um sinal de algum problema de saúde mais grave. Nestes casos é recomendado a busca imediata por orientação médica e de um nutricionista, que poderão avaliar o caso.

Inúmeras razões podem levar uma pessoa a emagrecer sem que haja o intuito de perder peso. Veja algumas das possíveis causas:

Leia também:  Phytophen funciona

Metabolismo acelerado; perda de apetite; abuso de substâncias químicas, como álcool e drogas; diarreia crônica; distúrbios alimentares, como anorexia e bulimia, podem levar uma pessoa a perder mais peso do que ela de fato gostaria; desnutrição; uso de determinados medicamentos, como anfetaminas, o uso exacerbado de laxantes e medicamentos para tireoide; resultado do tratamento de quimioterapia, utilizado para tratar alguns tipos de câncer; depressão; distúrbios graves do sono, como insônia; câncer; hipertireoidismo; úlceras orais, que provocam dor; uso de aparelhos odontológicos, que dificultam a alimentação; perda de dentes; cáries dentárias; tabagismo; AIDS.

Na Consulta Médica
Especialistas que podem diagnosticar a perda de peso não-intencional são:

Clínico geral
Endocrinologista
Metabologista
Oncologista
Gastroenterologista
Odontologista / dentista
Psiquiatra
Psicólogo
Médico do sono
Nutricionista
Imunologista
Neurologista

Leia também: descubra Como emagrecer rápido

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar

Disfunção erétil (DE)

Disfunção erétil (DE)

A disfunção erétil (DE) é incapacidade de alcançar ou manter uma ereção satisfatória para poder ter relações sexuais.

Ocasionalmente, todos os homens têm problemas em ter uma ereção, e tais ocorrências são consideradas normais. A disfunção erétil ocorre quando um homem

Nunca consegue atingir uma ereção

Atinge ereção brevemente, mas não o suficiente para a relação sexual

Atinge ereção eficaz de forma inconsistente

A DE é chamada de primária se o homem nunca conseguiu ter ou manter uma ereção.

A DE é chamada de secundária se ela ocorrer em um homem mais velho que anteriormente conseguia ter ereções.

A DE secundária é muito mais comum que a ED primária.

Nos Estados Unidos, cerca de 50% dos homens com idade entre 40 e 70 são afetados de alguma forma e a porcentagem aumenta com o envelhecimento. No entanto, a DE não é considerada uma parte normal do envelhecimento e pode ser tratada com sucesso em qualquer idade.

Causas
Para atingir uma ereção, o pênis precisa de uma quantidade adequada de sangue fluindo, uma desaceleração do sangue que flui para fora, funcionamento adequado dos nervos que chegam e saem do pênis, quantidades adequadas do hormônio sexual masculino testosterona e impulso sexual suficiente (libido), de modo que um distúrbio em qualquer um destes sistemas pode conduzir à DE.

A maioria dos casos de DE é causada ​​por anomalias dos vasos sanguíneos ou nervos do pênis. Outras possíveis causas incluem distúrbios hormonais, distúrbios estruturais do pênis, uso de certos medicamentos e problemas psicológicos ( Causas frequentes e características da disfunção erétil). As causas específicas mais comuns são

Endurecimento das artérias (aterosclerose) que afeta as artérias do pênis

Diabetes mellitus

Complicações da cirurgia de próstata

Certos medicamentos, como aqueles usados para tratar hipertensão ou aumento da próstata e aqueles que agem no sistema nervoso central como medicamentos utilizados para tratar a depressão

Você sabia que…
A incapacidade ocasional de conseguir uma ereção é normal e não significa que o homem tenha disfunção erétil.

Quase a metade dos homens com mais de 65 anos e alguns homens com mais de 80 geralmente podem ter ereções suficientes para a penetração.

Os baixos níveis de testosterona tendem a diminuir o impulso sexual, em vez de causar disfunção erétil.

As combinações de medicamentos injetáveis ​​no pênis e dispositivos que contraem ou aplicam sucção ao pênis são altamente eficazes e não apresentam alguns dos efeitos colaterais dos medicamentos orais.

O aconselhamento sexual pode ajudar até mesmo quando a disfunção erétil tem uma causa física.

Muitas vezes, vários fatores contribuem para a DE. Por exemplo, um homem com uma ligeira diminuição da função erétil causada por diabetes ou vasculopatia periférica pode desenvolver DE grave após iniciar um novo medicamento ou se o estresse aumentar.

Distúrbios dos vasos sanguíneos
A aterosclerose pode bloquear parcialmente o fluxo sanguíneo para as pernas (vasculopatia periférica). Normalmente, artérias que vão ao pênis também são obstruídas, diminuindo a quantidade do fluxo sanguíneo para o pênis e causando a DE. Diabetes, níveis elevados de colesterol e de hipertensão arterial e tabagismo contribuem para a aterosclerose e, portanto, para a DE.

Às vezes, o sangue vaza das veias do pênis muito rapidamente, diminuindo a pressão sanguínea no pênis e interferindo no alcance e na manutenção da ereção (chamado de disfunção veno-oclusiva).

Distúrbios nervosos
Se os nervos que enviam mensagens ao pênis estiverem danificados, a DE poderá ocorrer. Além de causar aterosclerose, o diabetes também pode afetar os nervos que irrigam o pênis. Como os nervos que vão para o pênis estão junto à glândula da próstata, a cirurgia de próstata (por exemplo, devido ao câncer ou próstata aumentada), muitas vezes, causa a DE.

Distúrbios nervosos menos comuns que causam a DE incluem lesão da medula espinhal, esclerose múltipla e AVC (acidente vascular cerebral). Além disso, a pressão prolongada sobre os nervos das nádegas e área genital (a chamada região selar), como pode ocorrer durante longos passeios de bicicleta, pode causar DE temporária.

Outros distúrbios
Distúrbios hormonais (tais como níveis anormalmente baixos de testosterona) tendem a diminuir o impulso sexual, mas também podem resultar em DE.

Na doença de Peyronie, tecido cicatricial se desenvolve dentro do pênis, resultando em ereções curvadas e muitas vezes dolorosas e causando a DE.

O que é a doença de Peyronie?
Na doença de Peyronie, há inflamação dentro do pênis, o que causa a formação de tecido cicatricial. Uma vez que o tecido cicatricial não se expande durante uma ereção, o pênis ereto fica curvado, fazendo com que a penetração durante a relação sexual seja difícil ou impossível. O tecido cicatricial pode se estender ao tecido erétil (corpo cavernoso), causando disfunção erétil.

Alguns medicamentos, álcool e drogas ilícitas, como a cocaína e as anfetaminas, também podem causar ou contribuir para a DE.

Às vezes, problemas psicológicos (como ansiedade de desempenho ou depressão) ou fatores que diminuem o nível de energia do homem (tais como doença, fadiga ou estresse) causam ou contribuem para a DE. A disfunção erétil pode ser situacional, envolvendo um determinado lugar, hora ou parceira.

Uma ereção prolongada e dolorida (priapismo) pode danificar o tecido erétil do pênis, levando à DE.

Avaliação
Um episódio ocasional de DE não é incomum, mas os homens que são constantemente incapazes de ter ou manter uma ereção devem procurar um médico, porque a DE pode ser um sinal de um grave problema de saúde, como aterosclerose ou uma doença nervosa. A maioria das causas da DE é tratável​. As informações a seguir podem ajudar os homens a saber quando procurar um médico e o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta
Em homens com DE, certos sintomas e características são motivos de preocupação. Eles incluem

A ausência de ereções durante a noite ou logo ao acordar pela manhã

Dormência na região entre e ao redor das nádegas e área genital (chamada de região selar)

Cãibras doloridas nos músculos das pernas, que ocorrem durante a atividade física, mas são aliviadas prontamente por repouso (claudicação)

Quando consultar um médico
Embora a DE possa diminuir a qualidade de vida de um homem, ela não é, por si só, um quadro clínico perigoso. No entanto, a DE pode ser um sintoma de um sério distúrbio médico. Devido ao fato de que a dormência na virilha ou perna pode ser sinal de dano na medula espinhal, os homens que, repentinamente, desenvolvem tal dormência devem consultar um médico imediatamente. Homens que têm outros sinais de alerta devem ligar para o seu médico e perguntar em quanto tempo terão de ir à consulta e ser examinados.

O que o médico faz
Os médicos primeiramente fazem perguntas sobre os sintomas do homem e histórico médico. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que eles encontram durante o histórico clínico e exame físico muitas vezes sugere uma causa para a DE e podem ser necessários exames adicionais ( Causas frequentes e características da disfunção erétil).

Os médicos perguntam sobre

Uso de drogas e álcool

Histórico de tabagismo

Histórico de diabetes

Histórico de hipertensão arterial

Histórico de aterosclerose

Histórico de cirurgia (por exemplo, devido ao aumento da próstata, câncer de próstata ou retal, ou distúrbios dos vasos sanguíneos)

Histórico de lesão (por exemplo, um osso pélvico quebrado ou uma lesão nas costas)

Sintomas de distúrbios dos vasos sanguíneos (por exemplo, dor nas panturrilhas ao caminhar ou frieza, dormência ou cor azulada dos pés)

Sintomas de distúrbios nervosos (por exemplo, dormência, formigamento, fraqueza, incontinência ou queda)

Sintomas de distúrbios hormonais (por exemplo, perda do impulso sexual, aumento do tamanho das mamas, diminuição do tamanho dos testículos, perda de pelos no corpo, tremores, alterações de peso ou apetite ou intolerância ao calor ou frio)

Sintomas de distúrbios psicológicos, em particular, depressão

Satisfação com as relações sexuais

Disfunção sexual (por exemplo, vaginite ou depressão) da parceira do homem

Mesmo que os homens possam ter vergonha de falar com seus médicos sobre esses assuntos, a informação é importante para determinar a causa da DE.

O foco do exame físico é sobre os órgãos genitais e a próstata, mas os médicos também procuram por sinais de distúrbios hormonais, nervosos e dos vasos sanguíneos e examinam o reto.

Às vezes, a causa é clara a partir do histórico. Por exemplo, a DE pode ocorrer logo após a cirurgia de próstata ou ao iniciar um novo medicamento. Uma pista importante é saber se as ereções estão presentes durante a noite ou ao acordar. Quando as ereções estão presentes, uma causa física é menos provável do que uma causa psicológica, porque as causas físicas tipicamente inibem as ereções em todos os momentos. Outros fatores que sugerem uma causa psicológica são o desenvolvimento súbito em um homem jovem saudável, a ocorrência de sintomas apenas em determinadas situações e a resolução da DE sem qualquer tratamento. A claudicação ou frieza ou uma cor azulada nos dedos dos pés ou pés pode indicar um problema com os vasos sanguíneos, como a vasculopatia periférica ou doença vascular causada pelo diabetes.

Causas frequentes e características da disfunção erétil
Causa

Características comuns*

Exames†

Distúrbios dos vasos sanguíneos

Obstrução das artérias (vasculopatia periférica)

Claudicação (sensação dolorosa, dor, cãibras ou cansaço nos músculos das pernas que ocorrem regularmente e previsivelmente durante a atividade física, mas são aliviados prontamente pelo repouso)

Fatores de risco comuns (por exemplo, a hipertensão arterial, diabetes ou níveis anormais de colesterol e lipídios no sangue)

Comparação da pressão arterial medida no tornozelo e no braço ao mesmo tempo (chamado de índice tornozelo-braquial)

Exames de fatores de risco (por exemplo, níveis elevados de glicose [açúcar] no sangue e lipídios no sangue)

Medição ultrassonográfica do fluxo sanguíneo entrando nas artérias do pênis

Vazamento venoso (quando as veias do pênis não conseguem impedir que o sangue saia do pênis durante uma ereção, como fazem normalmente)

Ereções que ocorrem, mas não podem ser mantidas

Exame de ultrassom das artérias do pênis

Distúrbios nervosos

Lesão do nervo causada ​​pelo diabetes (neuropatia diabética)

Diabetes conhecido

Às vezes, dormência, queimação ou outras dores nos pés

Às vezes, incontinência urinária

Exame médico

Às vezes, eletromiografia e estudos de condução nervosa

Esclerose múltipla

Episódios intermitentes de fraqueza ou dormência em diferentes partes do corpo, em momentos diferentes

IRM

Às vezes, punção lombar e testes de líquido cefalorraquidiano

Danos aos nervos durante cirurgia pélvica ou radioterapia

Cirurgia conhecida (como prostatectomia radical) ou radioterapia

Somente exame médico

Distúrbios da medula espinhal (como tumores ou lesões)

Dormência na região entre o pênis e o ânus

Geralmente, outros sintomas de distúrbios da medula espinhal (por exemplo, dormência e fraqueza das pernas e incontinência)

IRM

Pressão prolongada nas nádegas e área genital (região do assoalho pélvico), como ocorre ao andar de bicicleta ou a cavalo

Normalmente, atletas de competição que pedalam por longos períodos

Os sintomas ocorrem logo depois de andar de bicicleta ou a cavalo

Somente exame médico

Prostatite (inflamação da próstata)

Dor pélvica ou na virilha e sintomas urinários incômodos, como dor, sensação de queimação, sangue na urina, ter que urinar frequentemente ou ter dificuldade em começar a urinar

Somente exame médico

Acidente vascular cerebral

AVC conhecido

Somente exame médico

Distúrbios hormonais

Hipogonadismo (deficiência de testosterona)

Perda do desejo sexual, distúrbios do sono e depressão ou alterações de humor

Com o tempo, diminuição do tamanho dos músculos e testículos, da densidade óssea e dos pelos corporais

Com o tempo, aumento de gordura corporal e do tamanho das mamas

Medição do nível de testosterona no sangue

Síndrome de Cushing

Rosto redondo, aumento de gordura corporal no tronco, estrias roxas no abdômen, hipertensão arterial e alterações de humor

Medição dos níveis de cortisol na urina

Às vezes, exames de sangue

Hipertireoidismo grave (excesso de hormônio da tireoide)

Inquietação, aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, tremores, perda de peso e incapacidade de tolerar o calor

Medição dos níveis de hormônio da tireoide no sangue

Hipotireoidismo grave (deficiência de hormônio da tireoide)

Lentidão, diminuição da frequência cardíaca e pressão arterial, espessamento da pele, diminuição do apetite, ganho de peso, e incapacidade de tolerar frio

Medição dos níveis de hormônio da tireoide no sangue

Distúrbios estruturais

Doença de Peyronie (formação de tecido cicatricial no tecido erétil do pênis)

Tecido firme no pênis

Frequentemente, curvatura grave do pênis durante a ereção

Dor frequente durante as relações sexuais

Somente exame médico

Ultrassonografia do pênis para detectar tecido cicatricial

Hipospadia (uma deficiência congênita)

Uretra localizada na parte inferior do pênis

Somente exame médico

Microfalo (deficiência congênita)

Pênis anormalmente pequeno

Somente exame médico

Distúrbios psicológicos

Depressão

Tristeza, desamparo, desesperança, perda de apetite e problemas para dormir

Somente exame médico

Ansiedade de desempenho ou estresse

Ereções totais durante o sono e ao se masturbar

Preocupação com o desempenho sexual

Às vezes, a DE ocorre apenas com algumas parceiras ou em certas situações

Somente exame médico

Outros

Medicamentos ( Alguns medicamentos que costumam ser usados ​​que podem causar a disfunção erétil)

Histórico de administração de um medicamento conhecido por causar DE

Somente exame médico

Hipoxemia (níveis cronicamente baixos de oxigênio no sangue)

Normalmente, um distúrbio pulmonar crônico (por exemplo, doença pulmonar obstrutiva crônica)

Oximetria de pulso (medição do nível de oxigênio no sangue)

*As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

†O nível de testosterona geralmente é medido. Se o nível estiver baixo, os médicos medem os níveis de outros hormônios.

DE = disfunção erétil; IRM = imagem por ressonância magnética.

Alguns medicamentos que costumam ser usados ​​que podem causar a disfunção erétil
Classe

Medicamentos

Medicamentos para tratar a hipertensão arterial (anti-hipertensivos)

Betabloqueadores (tais como atenolol, carvedilol, metoprolol e propranolol)

Clonidina

Diuréticos (tais como furosemida, hidroclorotiazida e clortalidona)

Metildopa

Espironolactona

Medicamentos para tratar o aumento da próstata

Bloqueadores alfa-adrenérgicos (tais como terazosina, doxazosina, tansulosina e silodosina)

Inibidores da 5-alfa-redutase (tais como a finasterida e dutasterida)

Medicamentos para tratar o câncer de próstata

Medicamentos hormonais (tais como leuprolida, triptorrelina e gosserrelina)

Abiraterona

Bicalutamida

Cetoconazol

Medicamentos que afetam o sistema nervoso central

Álcool

Benzodiazepinas (tais como alprazolam, clordiazepóxido, diazepam e lorazepam)

Cocaína ou anfetaminas, com uso crônico

Inibidores da monoaminoxidase (tais como fenelzina, selegilina e tranilcipromina)

Opioides (tais como a codeína, heroína, hidromorfona, metadona, morfina ou oxicodona), se utilizados cronicamente

Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (como citalopram, escitalopram, fluoxetina, paroxetina e sertralina)

Antidepressivos tricíclicos (tais como amitriptilina, desipramina, imipramina e nortriptilina)

Outros

Antagonistas de andrógenos (como megestrol)

Medicamentos contra o câncer (a maioria dos medicamentos para quimioterapia)

Cimetidina

Medicamentos com efeitos anticolinérgicos (tais como muitas anti-histaminas e alguns antidepressivos)

Estrogênios

Exames
Geralmente são necessários exames. Os testes laboratoriais incluem a medição dos níveis de testosterona no sangue. Se o nível de testosterona estiver baixo, os médicos medem os hormônios adicionais. Dependendo dos resultados do histórico e exame físico, exames de sangue também podem ser feitos para verificar a existência de diabetes não reconhecido anteriormente, distúrbios da tireoide e distúrbios lipídicos. Normalmente, esses testes fornecem ao médico informações suficientes para planejar o tratamento.

Ocasionalmente, os médicos injetam um medicamento no pênis que estimula a ereção e, em seguida, usam a ultrassonografia para avaliar o fluxo sanguíneo nas artérias e veias do pênis. Raramente, os médicos podem recomendar o uso de um monitor doméstico que detecta e registra ereções durante o sono.

Tratamento
Tratamento das causas subjacentes

Educação e aconselhamento

Inibidores de fosfodiesterase por via oral

Às vezes, outros medicamentos, dispositivos mecânicos ou cirurgia

Qualquer distúrbio subjacente é tratado e os médicos muitas vezes interrompem o uso de medicamentos que podem estar causando a DE, ou mudam para um medicamento diferente. No entanto, os homens devem conversar com seu médico antes de interromper o uso de qualquer medicamento.

O excesso de peso é um fator de risco para muitos distúrbios que podem causar a DE, de forma que a perda de peso pode melhorar a função erétil. O tabagismo é um fator de risco para a aterosclerose, então, parar de fumar também pode melhorar a função erétil. Parar ou diminuir o uso do álcool, se for excessivo, também pode ajudar.

Mesmo a DE causada por um distúrbio físico, geralmente tem um componente psicológico; então, os médicos tranquilizam e ensinam (incluindo a parceira do homem, sempre que possível). Aconselhamento de casais por um terapeuta sexual qualificado pode ajudar a melhorar a comunicação entre os parceiros, reduzir a pressão de desempenho e resolver conflitos interpessoais que contribuem para a DE.

A testosterona suplementar pode ajudar a restaurar ereções em homens com baixos níveis de testosterona. Esses preparados de testosterona podem ser aplicados diariamente na forma de adesivo ou gel. Às vezes, os produtos de testosterona aplicados por via nasal e por meio de implante de pele também são recomendados. Homens com níveis muito baixos de testosterona talvez precisem de injeções de testosterona duas vezes por mês.

Métodos não invasivos (dispositivos mecânicos e medicamentos) são experimentados primeiro. Às vezes, os homens devem tentar o método algumas vezes antes que os médicos possam determinar se é eficaz. Normalmente, uma primeira tentativa é feita com medicamentos por via oral. Os medicamentos que são injetados no pênis um pouco antes da relação sexual são eficazes e frequentemente são a segunda tentativa. Embora a maioria dos homens prefira medicamentos a outros métodos de tratamento da DE, os dispositivos mecânicos têm a vantagem de ser altamente eficazes e, uma vez que não apresentam os efeitos colaterais dos medicamentos, geralmente são muito seguros. Cirurgia de implante peniano com uma prótese inflável é a última opção, porém uma forma mais eficaz de realizar uma relação sexual.

Dispositivos mecânicos
Os homens que podem ter, mas não manter uma ereção, podem usar um anel de constrição. Assim que ocorrer a ereção, um anel elástico é colocado em torno da base do pênis, ajudando a evitar que o sangue flua para fora e mantendo a firmeza do pênis. Se o homem não pode desenvolver uma ereção, um dispositivo de ereção a vácuo manual pode ser aplicado sobre o pênis. Este dispositivo leva sangue para o pênis, exercendo um efeito de vácuo suave, após o qual o anel é colocado sobre a base do pênis para manter a ereção. Hematoma no pênis, a frieza da ponta do pênis e falta de espontaneidade são algumas desvantagens deste método. Às vezes, um anel de constrição e dispositivo a vácuo são combinados com tratamento farmacológico.

Medicamentos
Os principais medicamentos para a DE são inibidores de fosfodiesterase orais. Outros medicamentos incluem as prostaglandinas, que são injetadas no pênis ou inseridas na uretra. Inibidores de fosfodiesterase orais são usados ​​com muito mais frequência do que outros medicamentos porque são simples de usar e permitem espontaneidade na relação sexual. Medicamentos fitoterápicos sem prescrição médica são vendidos para DE, mas eles são geralmente ineficazes, contêm doses ocultas de inibidores de fosfodiesterase, ou ambos. Os inibidores de fosfodiesterase ocultos podem expor o homem a um medicamento com possíveis efeitos colaterais.

Os inibidores de fosfodiesterase orais (sildenafila, vardenafila, avanafila e tadalafila) aumentam o fluxo sanguíneo no pênis. Esses medicamentos funcionam da mesma forma, mas diferem quanto ao tempo de duração dos efeitos, aos seus efeitos colaterais, e às suas interações com alimentos. O efeito da tadalafila dura mais tempo do que o de outros medicamentos (até 36 horas), o que alguns homens preferem.

A maioria dos inibidores de fosfodiesterase funciona melhor quando ingeridos com o estômago vazio e pelo menos 1 hora antes da relação sexual. Homens que tomam nitratos (com mais frequência a nitroglicerina para o tratamento da angina, mas também nitrato de amila recreativo [“estimulantes”]) não devem tomar inibidores de fosfodiesterase, porque a combinação pode causar queda da pressão arterial a níveis não seguros. Outros efeitos colaterais temporários dos inibidores de fosfodiesterase incluem rubor, visão anormal (incluindo percepção anormal de cores) e dor de cabeça. O priapismo (ereção prolongada) se desenvolve muito raramente e pode vir a exigir tratamento médico de emergência. Em casos raros, os homens relataram cegueira ou perda da audição depois de tomar inibidores de fosfodiesterase, mas não está claro se os inibidores de fosfodiesterase tenham sido a causa.

Alprostadil (a prostaglandina PGE1) em monoterapia ou combinado com papaverina e fentolamina pode ser injetado diretamente na lateral do pênis com uma agulha muito fina, o que provoca uma ereção adequada na maioria dos homens. Alprostadil supositório pode ser inserido na uretra por meio de um aplicador tipo canudo. Estas terapias podem causar priapismo e dor peniana. Normalmente, o médico ensina o homem a aplicar o medicamento em si mesmo durante uma consulta. Depois disso, muitos homens aplicam estes medicamentos em si mesmos em casa. Alprostadil supositório pode ser combinado com um inibidor de fosfodiesterase oral para os homens em quem os medicamentos orais não são eficazes.

Cirurgia
Para alguns homens, o tratamento farmacológico não é eficaz ou aceitável. Nestes homens, pode ser feita uma cirurgia para implante de uma prótese peniana. Próteses podem ter a forma de hastes de silicone rígidas ou dispositivos operados hidraulicamente, que podem ser inflados e desinflados. Ambos envolvem os riscos da anestesia geral, infecção e mau funcionamento da prótese.

Leia também: o que é Aumento peniano

Informações essenciais para idosos
Embora a DE aumente com o envelhecimento, ela não precisa ser aceita como uma parte normal do envelhecimento. Em vez disso, devido ao fato de que os homens mais velhos são mais propensos a ter problemas de saúde que afetam os vasos sanguíneos, eles também são mais propensos a ter DE. Muitos casais mais velhos têm atividade sexual satisfatória sem ereções ou relações sexuais e podem optar por não procurar tratamento. Mesmo assim, o tratamento da DE pode ser adequado para homens mais velhos.

Pontos-chave
A DE geralmente resulta de distúrbios psicológicos, do sistema nervoso ou dos vasos sanguíneos, de lesões ou dos efeitos secundários de alguns medicamentos ou cirurgia.

Ao considerar as causas, os médicos consideram fatores psicológicos e interpessoais.

A terapia com testosterona pode ajudar a restaurar a função erétil em homens com baixos níveis séricos de testosterona e DE, mas um nível baixo de testosterona não é uma causa comum da DF.

A maioria dos homens com DE pode ser tratada com sucesso com um inibidor de fosfodiesterase oral, como a sildenafila, vardenafila, avanafila ou tadalafila.

A maioria dos homens que não responde à terapia com inibidores de fosfodiesterase orais pode atingir ereções com injeções de alprostadil, isoladamente ou combinadas com um inibidor de fosfodiesterase oral.

Dispositivos de ereção a vácuo e cirurgia de prótese peniana são tratamentos eficazes para homens com DE grave.

Como aumentar o pênis naturalmente 10 de novembro de 2018

Como aumentar o pênis naturalmente 10 de novembro de 2018

Existe por aí uma máxima que diz que tamanho não é documento, mas nós homens sabemos que tamanho é documento sim e que isso faz toda a diferença para as mulheres, embora eles neguem isso sempre.

O fato é que um pênis pequeno, ou seja, com tamanho abaixo da média, pode ser um grande problema, principalmente por que causa um grande desconforto nos homens que se sentem incapazes de dar mais prazer a uma mulher.

O que muitos homens que sofrem com esse problema ainda não sabem é que existe uma excelente alternativa para isso, que é o aumento peniano.

O aumento peniano pode ocorrer de diversas formas que vão desde o uso de medicamentos, até exercícios e uso de aparelhos para aumentar o tamanho do membro. Não faltam opções!

Então se você quer saber um pouco mais sobre esse assunto, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre o aumento peniano. Vamos lá?!

Como aumentar o pênis naturalmente
Pois bem, que tamanho é documento sim, nós já chegamos à conclusão, não é mesmo?! Pois o fato é que isso causa muitos problemas de autoestima nos homens que não sabem que podem aumentar o pênis.

Justamente por isso é que vamos falar sobre esse assunto agora, afinal, ninguém escolhe o tamanho do pênis ao nascer, mas também ninguém precisa aceitar o que a natureza deu se não for satisfatório, afinal, existem alternativas para melhorar isso. Então, vamos saber como aumentar o pênis naturalmente:

Aumento peniano com exercícios
Existe uma série de exercícios que podem ser realizados para ajudar a aumentar o tamanho do pênis e é grande o número de pessoas que estão satisfeitas com seus resultados depois de fazer essas atividades.

O fato é que os exercícios para essa finalidade podem aumentar o tamanho do pênis não só o comprimento, mas também na circunferência, ou seja, deixam o pênis maior e mais grosso.

A principal dica, no entanto, é fazer os exercícios sem estar excitado, pois executá-los com o pênis já ereto pode ocasionar microlesões que podem ser muito prejudiciais. Vamos conhecer esses exercícios:

Alongamento normal: primeiramente, aquela o pênis usando uma toalha molhada com água morna, repetindo isso 3 vezes para prepara-lo. Depois disso, comece o alongamento, passando um gel em todo o comprimento. Depois, envolva a base do pênis com o dedão e o indicador, segurando bem firme.
O passo seguinte é fazer movimentos da base até a ponta, sempre mantendo a pressão. Quando uma mão chegar até a grande, coloque a outra mão na mesma posição na base e repita o movimento, alternando as mãos. Faça isso pelo menos 10 vezes em cada sessão.

Alongamento invertido: nesse caso, posicione um dedo cerca de 1 cm abaixo da glande o polegar pela parte de baixo do pênis. EM seguida, puxe a pele para trás com o polegar, mas sem mover os dedos que estão embaixo, sentido o órgão alongar. Mantenha-o na posição por cerca de 20 segundos e retorne. Repita isso de 5 a 7 vezes fazendo pausas de relaxamento entre cada vez.
Esses são alguns exercícios que podem ser realizados para aumentar o tamanho do seu pênis de forma natural.

No entanto, as opções naturais para aumento peniano não se limitam a esses exercícios e existem outras alternativas que podem ser utilizadas para isso.

Aparelhos de alongamento para aumento peniano
Existem alguns aparelhos que podem ajudar no alongamento peniano que são como pesos que ficam presos ao pênis fazendo pressão para que o membro se alongue.

Obviamente que os resultados não são imediatos, no entanto, o uso contínuo e a prática podem levar a um aumento visível no tamanho do pênis, que ficará mais alongado e poderá receber mais sangue.

Vale lembrar que esse aparelho só deve ser utilizado com a recomendação de um médico, visto que alguns vendidos em lojas online podem exercer um peso excessivo e acabar resultando em problemas ou lesões que podem levar até mesmo a te dificuldades de ereção.

Bombas à vácuo para aumento peniano
Outra opção para quem busca uma opção natural de aumento peniano, o uso de bombas à vácuo pode ser excelente, embora seu efeito seja curto, visto que funcionam também aumentando o fluxo de sangue no órgão durante o momento da ereção na hora em que são utilizadas.

Por isso, mesmo não sendo permanentes, as bombas são recomendadas para aqueles homens que desejam aumentar um pouco o tamanho do pênis por um curto período de tempo e manter uma ereção por um tempo maior.

Existem remédios para aumentar o pênis?
Sim, existem diversos remédios que podem ser utilizados para promover o aumento peniano. Normalmente, nesse caso, são medicamentos prescritos por médicos a fim de tratar um problema de ereção no homem, tais como Viagra, Levitra ou Cialis.

O modo de ação desse tipo de medicamento é aumentando o fluxo de sangue para a região do pênis, permitindo obter uma ereção mais rígida e duradoura.

Sendo assim, o aumento é causado pelo maior fluxo de sangue no órgão e o efeito dura apenas o tempo de ação do medicamento. Já o uso deve ser sempre recomendado por um médico, visto que pode causar efeitos colaterais e não é indicado para pacientes com determinadas patologias pré-existentes.

O que é um extensor peniano?
O extensor peniano nada mais é do que um aparelho que faz uso de um dos métodos mais antigos de aumento peniano, que é a tração. Atualmente ele é conhecido como um ótimo método de aumentar o pênis sem a necessidade de cirurgia.

Seu modo de ação é esticar o pênis, gerando um estimulo na capacidade natural do corpo de multiplicação de células, um processo chamado mitose. Vale lembrar ainda que esse método é bastante utilizado por muitos médicos, em diversas partes do corpo.

No pênis, a tração faz com que o corpo multiplique suas células do tecido interno, da pele e dos vasos sanguíneos, levando a um aumento efetivo e duradouro, tanto no comprimento quanto na espessura.

O extensor peniano consiste em dois anéis, sendo que um é preso à base do pênis enquanto outro fica preso à glande. Esses anéis ficam ligados à duas hastes de alumínio, que são usadas para gerar a tração. Por vezes, o aparelho também pode vir com uma espuma de proteção ou borracha, para evitar danos ao membro.

As hastes são reguláveis e devem ser ajustadas de modo a esticar o pênis um pouco de cada vez. No entanto, mesmo assim, pode causar um pouco de desconforto nos primeiros dias de uso, embora a tendência é que sejam cada vez mais confortáveis.

O período de uso recomendado é de cerca de 2 horas por dia e deve ser evitado em momento de prática de atividades, durando o período de sono ou quando haja a possibilidade de realizar movimentos bruscos, pois pode machucar o pênis.

Sem dúvidas é uma boa alternativa de aumento peniano, no entanto, pode causar uma certa dor nos momentos de tração, até que o órgão se acostume ou “cresça”.

Cirurgia peniana
Uma outra alternativa de aumento peniano é através de procedimento cirúrgico. No entanto, essa opção só é considerada como uma última opção de tratamento visto que o resultado nem sempre sai como o esperado e que também podem surgir deformidades que dificultem a ereção posteriormente.

Mais do que isso, a cirurgia só é recomendada para homens que possuem o chamado micropênis, ou seja, um pênis com até 4 centímetros de comprimento.

Produtos para aumentar o pênis

Por outro lado, além de todas essas alternativas, o que não faltam são opções de produtos comprovadamente eficientes que atuam aumentando o tamanho do pênis.

Isso mesmo! Todos sabemos que o tamanho do pênis é algo fundamental para satisfazer a sua parceira e é por isso que nada melhor do que contar com produtos eficientes que realmente promovem o aumento peniano de forma natural e sem contraindicações.

Xtrasize
O Xtrasize nada mais é do que um suplemento vitamínico totalmente natural, amplamente indicado para homens que tem a intenção de melhorar seu desempenho sexual, ou seja, todos nós, afinal, quem não quer deixar a parceira pedindo mais, mão é mesmo?!

O fato é que Xtrasize combina diversos ativos naturais que, na concentração certa, ajudam o organismo a funcionar melhor e conseguir o máximo de resultados no apetite sexual e no desempenho na hora “H”.

O produto é vendido em potes com 60 cápsulas, de uso diário, sendo que cada pote tem a duração de um mês, ou seja, são duas cápsulas por dia.

Todos esses elementos combinados têm sua eficiência cientificamente comprovada em laboratório e também na experiência de um grande número de homens que atualmente já está satisfeito com o tamanho dos seus pênis.

Eu não tenho a mínima dúvida de que você também deseja melhorar a sua autoconfiança e passar noites incríveis com o pênis ereto por horas, sem se preocupar em decepcionar a sua parceira, não é mesmo?!

Leia mais sobre Xtrasize: Neste Artigo

Power Blue
Uma outra excelente alternativa de aumento peniano é o Power Blue, que também é um medicamento completamente natural e sem qualquer contraindicação.

Ele atua aumentando a irrigação e sangue nos corpos cavernosos do pênis, o que proporciona uma ereção muito mais duradoura e rígida. Mais do que isso, as cápsulas ainda contém ativos que atuam aumentando os níveis de testosterona no organismo, que é um dos principais responsáveis pelo apetite sexual de nós, homens.

Então, para obter uma grande expansão dos corpos cavernosos e, consequentemente, ereções impressionantes, é preciso que o corpo seja capaz de produzir células com maior agilidade.

Leia também: Como aumentar o pênis de verdade

É justamente por isso que Power Blue contém uma grande quantidade de células antioxidantes, que comprovadamente atuam no desenvolvimento de novos tecidos.

Então, quanto mais sangue preenchendo os corpos cavernosos do pênis, mais potente será a ereção e maior será o tamanho do pênis.

No entanto, para que isso aconteça adequadamente, é preciso ter um órgão saudável, um bom equilíbrio hormonal e uma forte irrigação sanguínea e esse produto faz tudo isso por você.

Com ele, você poderá ver uma diferença de até 7 centímetros no tamanho do pênis ereto, sendo uma excelente forma de aumento peniano para impressionar a parceira no momento do sexo.

Pronto, agora você já sabe diversas alternativas de aumento peniano e pode escolher as melhores para você, lembrando que elas podem ser combinadas para potencializar resultados. Aproveite e boa sorte!

Melhores Remédios para Impotência Sexual e Tratamentos Naturais

Melhores Remédios para Impotência Sexual e Tratamentos Naturais

A disfunção erétil é uma condição que impossibilita o homem de obter ou manter uma ereção firme o suficiente para manter uma relação sexual. Atualmente, a impotência sexual está cada vez mais comum, e atinge os homens em algum momento da vida.

Para alguns homens, o tratamento com remédios pode resolver os problemas de ereção, se você está procurando opções para tratar a disfunção erétil, confira a lista de remédios abaixo. Informações da bula sobre como tomar, para que serve e quais são os efeitos colaterais podem ajudar a discutir as opções de tratamento com o seu médico.

Existem muitos tipos de medicamentos usados para tratar a disfunção erétil. Cada droga funciona de forma diferente, mas todos eles melhorar a atividade sexual ao estimular o fluxo sanguíneo para o pênis.

Se você tiver certos problemas de saúde, pode não ser seguro para você tomar medicamentos para a disfunção erétil. Por exemplo, se você tem uma doença do coração, o seu coração pode não ser saudável o suficiente para o sexo.

Informe o seu médico sobre todos os problemas de saúde que você tem e as medicações que está tomando. Esta informação pode ajudar o seu médico a decidir qual é o melhor remédio para você. Muitas vezes a impotência sexual é causada por um problema de saúde ou medicação.

Lista de Medicamentos para Disfunção Erétil
Alprostadil
Alprostadil (Caverject, Edex, Muse) é usado para tratar a disfunção erétil. Ele vem como uma solução para injeção. Você deve injetar diretamente no seu pênis alguns minutos antes da relação sexual. Você pode usá-lo quando necessário, até três vezes por semana.

Os efeitos colaterais mais comuns desta droga incluem vermelhidão e irritação no local da injeção.

Avanafil
O Avanafil (Stendra) é um medicamento oral usado para tratar a disfunção erétil. Você deve ingerir cerca de 15 minutos antes da relação sexual. Não tome este remédio mais que uma vez por dia.

Você não deve utilizar nitratos, enquanto estiver consumindo este remédio. Exemplos incluem isosorbide e nitroglicerina. Tomar nitratos com o avanafil pode afetar gravemente a pressão arterial e até causar morte.

Os mais comuns efeitos colaterais desta droga incluem:

dor de cabeça
rubor (vermelhidão e o aquecimento do seu rosto)
pressão arterial baixa
alterações na visão, como visão embaçada, ver halos (círculos ao redor de objetos), ou mudanças na forma como o vermelho e o verde olhar
alterações auditivas, tais como zumbido (zumbido nos ouvidos) e ouvir sons de forma diferente
Citrato de Sildenafila
O Citrato de Sildenafila (Viagra) é usado para tratar a disfunção erétil. O Viagra está disponível apenas como comprimido oral. Você deve tomá-lo apenas uma vez por dia, cerca de uma hora antes do sexo.

Os mais comuns efeitos colaterais desta droga incluem:

dor de cabeça
abate
dores de estômago
alterações na visão
Tadalafil
O Tadalafil (Cialis) é uma remédio oral que aumenta o fluxo de sangue por todo o corpo. Você tome este medicamento 30 minutos antes do sexo. Ele pode trabalhar por até 48 horas.

Os mais comuns efeitos colaterais desta droga incluem:

dor de cabeça
náuseas
abate
dores de estômago
alterações na visão
A testosterona
A testosterona é o principal hormônio sexual no corpo masculino. Ela desempenha vários papéis na saúde em geral. Os níveis de testosterona tendem a cair, naturalmente, com o avanço da idade. Essa alteração pode levar a impotência sexual e outros problemas, tais como a fadiga, baixo desejo sexual, redução da contagem de espermatozoides, e o ganho de peso.

Os médicos às vezes prescrevem testosterona para tratar a disfunção erétil. Mas a droga vem com riscos. A testosterona pode aumentar a sua chance de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral. Devido a estes riscos, a FDA diz que apenas os homens que têm baixos níveis de testosterona devido a certos problemas de saúde devem fazer uso de testosterona.

O seu médico irá observar de perto seus exames, e lhe dizer se o tratamento com testosterona é o mais indicado para o seu caso. Caso opte pelo tratamento, os seus níveis de testosterona serão medidos antes e durante o seu tratamento com esta droga. Se os seus níveis de testosterona são muito altos, o médico irá parar o tratamento ou reduzir a dose do medicamento.

Os mais comuns efeitos colaterais da testosterona incluem:

acne
mamas ou próstata de crescimento
a retenção de líquidos, que causa inchaço
o mau humor
a apneia do sono (respiração interrompida durante o sono)
A testosterona vem em muitas formas usado para tratar a disfunção erétil, algumas dessas formas podem estar disponíveis como genéricos.

Vardenafil
Vardenafil (Levitra, Staxyn) é um medicamento oral usado para tratar a disfunção erétil. Você tomá-lo como necessários 60 minutos antes do sexo. Você pode tomar esses medicamentos até uma vez por dia, conforme recomendado pelo seu médico.

Os mais comuns efeitos colaterais desta droga incluem:

Leia também: Viagra Natural comprar

dor de cabeça
náuseas
tonturas
Tratamento Natural para Impotência Sexual
Atualmente, existem muitas vitaminas e suplementos naturais no mercado que podem ajudar a tratar a disfunção erétil. Alguns prometem melhor a função sexual, bem como o aumento de energia e vitalidade. No entanto, nem todos os remédios para impotência funcionam, e alguns também podem ser perigosos.

Nem todos os homens como problemas de ereção precisam tomar remédios. Se você acha que tem disfunção erétil, consulte seu médico antes de comprar qualquer tipo de medicação.

A disfunção erétil pode ser causada por alguma condição não tratada, como: diabetes, estresse, pressão alta ou outro problema de saúde. O tratamento dessas condições pode melhorar os sintomas da impotência sexual.

A dificuldade de ereção também podem ser causada por outros medicamentos que você está tomando, como, por exemplo, remédios usados para tratar:

pressão arterial elevada
doença cardíaca
depressão
convulsões
câncer
O seu médico deverá ser informado de todas as medicações que você está tomando atualmente. Dessa forma, ele poderá fazer algumas mudanças nestas medicações que podem melhorar a sua disfunção.

Impotência sexual masculina

Impotência sexual masculina

Saiba como é o tratamento psicológico para este problema.

No post anterior, vimos que a impotência sexual é apenas um dos transtornos sexuais que pode surgir na vida do homem. Sua caracterização pode ir muito além da incapacidade de iniciar ou manter uma ereção durante a relação sexual, impedindo não só seu acontecimento e sua satisfação sexual, como também cumprindo a função de somatizar problemas vivenciados pelo homem ou problemas da relação.

Em outras palavras, essa incapacidade pode não restringir-se às dificuldades para ter ou manter ereções suficientemente rígidas para a penetração. Em muitos casos este comportamento falho do órgão sexual tem a função de comunicar – ou seja, é o sintoma – de alguma dificuldade psicológica ou emocional vivida pelo homem. Por isso, entendemos que os tratamentos mais adequados devem contemplar uma análise ampla sobre a questão, verificando influências biológicas, sociais e psíquicas.

No post de hoje apresentarei mais alguns detalhes sobre as causas da impotência sexual masculina e como este problema é a abordado no tratamento psicológico.

Impotência sexual – Tratamento para disfunção erétil
A impotência sexual está relacionada a diversos fatores – físicos, psicológicos e sociais – e tratá-la envolve, obrigatoriamente, a descoberta de sua função.

Leia também: Big Size funciona

Exatamente!

Ao contrário de muitos tratamentos oferecidos atualmente, descobrir a causa não é necessariamente sinônimo de encontrar solução para a impotência. É importante entendermos que a causa tem sim sua importância para o tratamento e deve ser considerada. Porém, o mais importante é descobrir a função, em “benefício” de que a impotência está acontecendo, qual está sendo seu objetivo, o que está mantendo este comportamento ou o que ele quer comunicar.

Acessar a função dá a oportunidade de trabalharmos efetivamente na raiz do problema e não no sintoma que é a falta de ereção. Por isso, todo tratamento deve iniciar-se com a averiguação das causas físico-orgânicas para eliminarmos as variáveis mais previsíveis e abrirmos caminho para investigação das questões subjetivas, emocionais e psicológicas.

44% dos homens sofre de impotência sexual no Brasil
De acordo com os dados recentes divulgados pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), através de um estudo realizado em 22 cidades brasileiras, 44% dos homens do País convivem com a impotência sexual. Além disso, foi descoberto que 73% dos homens que sofrem deste problema não possuem causa orgânica, ou seja, 3/4 dos homens que sofrem com a impotência sexual não possuem problemas físicos e têm condições orgânicas-biológicas de terem e manter a ereção durante os comportamentos sexuais. Isso permite afirmar que 73% dos homens que sofrem de impotência sexual passam por essa questão por conta de problemas subjetivos, emocionais e psicológicos.

Tratamento da impotência sexual
Durante o tratamento, após inicialmente descartados os fatores causais de ordem física e após avaliação médica de um Urologista, passamos a investigar a presença de algum distúrbio psicológico ou problemas comportamentais e contextuais que estejam impactando psicologicamente a vida do paciente. Neste momento, passamos a investigar e compreender a rotina de vida do paciente, suas experiências e acontecimentos que possam estar relacionados ao problema.

Antigamente acreditava-se que apenas homens idosos passavam por esse problema. Na verdade, jovens entre 20 e 40 anos estão entre os maiores afetados por este problema. Um fator importante a ser destacado nesse contexto é que apenas o envelhecimento não constitui uma causa de impotência sexual e por esta razão, mesmo que o paciente que esteja passando por episódios de impotência sexual não seja um jovem, durante o tratamento até mesmo a qualidade de vida desta velhice deve ser analisada para compreendermos as funções da impotência sexual que por ventura esteja acontecendo nestas condições.

Avaliação, intervenção e tratamento psicológico para a impotência sexual
Na terapia comportamental, este processo tem como primeiro objetivo determinar o diagnóstico da queixa apresentada, ou seja, é preciso denominar e descrever o problema trazido pelo cliente. Nesta etapa, procuramos acessar a raiz e o quem vem mantendo a impotência sexual vivida pelo paciente, com que frequência isto ocorre, sob que condições etc.

O segundo objetivo do processo de avaliação é formular as causas da queixa apresentada. Considerando-se a complexidade dos transtornos sexuais – como é o caso da impotência – e os diversos fatores que contribuem para o surgimento e a manutenção do transtorno. Essa formulação deve compreender os níveis biológico, psicológico e social – como apresentado anteriormente.

No processo de avaliação também se fornece algum feedback ao cliente, se estabelece um plano terapêutico e um parâmetro a partir do qual possamos avaliar a eficácia do tratamento. As informações coletadas no processo de avaliação são obtidas a partir de três fontes: a entrevista clínica, os questionários de auto-relato e os procedimentos psicofisiológicos (exames médicos).

A entrevista clínica é fundamental no processo de avaliação psicossocial. A partir dela é possível a obtenção de uma descrição geral de seu problema erétil, o levantamento de informações a respeito de sua história psicossocial e a obtenção de dados relevantes sobre outros aspectos importantes de sua vida, como, por exemplo, eventos estressores ocorridos anteriormente, os atuais e também os temidos para o futuro. Em síntese, esse modelo ocorre nas primeiras sessões e tem o objetivo fundamental de conhecer a história de vida do paciente para implementarmos um tratamento adequado para a questão. Por isso, é importante que o paciente tenha consciência de que algumas sessões serão necessárias até o surgimento das primeiras interventores e resultados.

Numa altura ou outra da vida, a maioria dos homens têm algum episódio de impotência sexual erétil, mas, quando o problema se torna persistente e rotineiro e ocorre em quase 50% das tentativas de sexo, ou quando se transforma em uma grande preocupação para o homem ou para a(o) sua(seu) parceira(o), deve-se procurar ajuda e tratamento adequado. Muitas vezes trata-se de um transtorno erétil de ordem psicológica e requer um tratamento diferencial da impotência sexual erétil física. Como vimos anteriormente, as razões psicológicas são responsáveis por cerca de 73% dos casos de impotência sexual e insuficiência erétil. Na maioria das vezes é uma reação secundária a um fator psicológico principal.

Os principais fatores psicológicos relacionados à impotência sexual erétil são: o estresse e a ansiedade. Normalmente os casos de estresse estão relacionados às rotinas profissionais do trabalho, aos problemas financeiros-econômicos e, principalmente devido às discussões e problemas conjugais. A ansiedade também é outro fator presente nos casos de impotência sexual e transtornos sexuais.

Geralmente a ansiedade envolve os momentos em que a impotência sexual erétil acontece pela primeira vez e o homem passa a ficar muito preocupado com a possibilidade disto acontecer novamente. Esse pensamento dá origem ao que chamamos de “ansiedade de desempenho”, tal qual acontece com o medo.

Ajuda profissional
O mais importante nessas situações é procurar ajuda especializada para a questão. Como homem e como profissional da área sei como culturalmente esse tema é constrangedor, como ele desencadeia uma série de dificuldades sociais e relacionais, especialmente, na vida amorosa, no convívio social, na autoestima e autoconfiança do homem.

Sei também como muitos homens procuram contornar o problema por conta própria e até encontram soluções provisórias para o caso. Porém, é fundamental enfrentar de uma vez por todas o problema para que, ao invés construir uma necessidade de recorrer sempre aos paliativos, tenhamos a segurança de que o problema foi enfrentado desde a sua raiz e erradicado da sua vida.

Colágeno – Conheça 8 benefícios poderosos

Colágeno – Conheça 8 benefícios poderosos

Você provavelmente já ouviu falar do colágeno: uma proteína famosa quando o assunto são os cabelos, a pele e as unhas, mas ele vai além disso.

É verdade, ele tem um papel importantíssimo no fortalecimento dos cabelos e unhas e na elasticidade da pele. O que você precisa saber é que os benefícios do colágeno são mais abundantes que estes. Descubra agora mesmo nessa postagem o que preparamos para você.

Conhecendo mais o colágeno
O colágeno é a proteína mais abundante no organismo. Ele é o grande responsável pela firmeza e sustentação da pele, além de ter um papel fundamental na composição dos tendões e das cartilagens.

Leia também: Skin renov Anvisa

Para entender um pouco melhor o que ele é, coloque as mãos sobre sua orelha ou sobre a ponta do nariz. Percebeu como eles são maleáveis e resistentes ao mesmo tempo? Pois então, esse é o resultado do colágeno, que está muito presente nessas regiões. Acredite: essa estrutura é tão firme que pode resistir a mais tensões que um fio de aço.

Produzido naturalmente pelo organismo, ele tem uma grande tendência em diminuir com a idade, principalmente depois dos 30 anos. Se você vive esse período, já consegue perceber os sintomas de certa flacidez, concorda?

É uma proteína estrutural, portanto, sua principal função é compor a pele, ossos e cartilagens, dando sustentação ao corpo. Mas não é só isso! Ele também tem funções, que você vai conhecer a seguir.

Leia também: Colágeno em pó

Benefícios do colágeno
Possui diversos benefícios para o seu organismo, depois de ler essa postagem você vai querer se assegurar que nada comprometa a produção dessa proteína pelo seu corpo. Entre as principais vantagens estão:

Responsabilidade por melhorar a firmeza e elasticidade da pele;
Fornecimento de sustentação estrutural para dentes, ossos, vasos, pele e até mesmo para alguns órgãos;
Rejuvenescimento da pele, ou seja, trabalha prevenindo o envelhecimento das células;
Proteção das articulações;
Ajuda na prevenção do surgimento das temidas celulites e estrias;
Melhora e potencializa a cicatrização;
Promove a renovação das células;
Prevenção contra a osteoporose, protegendo os ossos.
O consumo como suplementação
Ele é naturalmente produzido pelo organismo, mas depois dos 30 anos, como falamos, a síntese ocorre de forma mais lenta, transparecendo um pouco a deficiência deste elemento. Nesse caso, você pode investir em uma alimentação mais rica para estimular a produção natural do seu corpo ou optar por uma suplementação.

Os suplementos podem ser encontrados de diversas formas, como em capsulas, em pó, líquido e até mesmo em chás e sucos.

Portanto, você não terá dificuldade em encontrar a opção que considerar ideal para sua rotina. Além disso, você já pode consumir o colágeno hidrolisado, facilitando a absorção do seu organismo.

As diferenças entre colágeno e colágeno hidrolisado
O colágeno hidrolisado passa por um processo de hidrólise, como você pode deduzir pelo próprio nome. Isso faz com que ele seja quebrado em partículas menores que as de colágeno normal, facilitando a absorção pelo corpo. Essa opção é muito usada na suplementação, por exemplo.

Além disso, o colágeno hidrolisado é composto por aminoácidos, fornecendo a glicina e prolina para o corpo. Isso faz com que o corpo consiga trabalhar na regeneração e estabilidade das cartilagens.

Agora que você já conhece os diversos benefícios do colágeno, essa proteína maravilhosa, não vai querer que os índices diminuam no seu organismo, não é mesmo?

Portanto, fique de olho e mantenha-se sempre saudável!

Gostou? Compre seu colágeno em nossa loja!

Bom treino!

Receitas Caseiras para Emagrecer Rápido sem Dietas

Receitas Caseiras para Emagrecer Rápido sem Dietas

Se você tem interesse em emagrecer de vez e preparar refeições que emagrecem em casa (sem dietas e pílulas mágicas) este artigo vai te ajudar.

Eu já gastei dezenas de horas na internet procurando por receitas deste tipo e mais me estressei do que qualquer outra coisa.

Tem MUITA opção, porém, tristemente, 95% delas são “falsas”, pecando em um ou outro ponto muito crítico.

Ou elas são difíceis de se fazer, ou são falsamente chamadas de emagrecedoras, quando na verdade estimulam o armazenamento de gordura, ou são mal formuladas, sem gosto, sem graça, etc.

Algumas pessoas acham impossível emagrecer de uma vez por todas, e ainda manter o peso perdido depois sem esforço, comendo o quanto quiser e quando quiser, sem fazer dietas bobas, contar calorias, pontos, controlar porções e nem ficar se exercitando que nem louco.

Eu também já achei que isso era bom demais pra ser verdade, mas depois que aprendi algumas dicas e receitas emagrecedoras, testei e vi que realmente funcionam.

Sei que parece impossível e muita gente não acredita, mas depois que têm o conhecimento adequado e testam ficam espantadas e felizes por conseguirem emagrecer e levar isso para o resto da vida.

Leia também: Kifina onde comprar

Enfim, se você quer preparar receitas caseiras para emagrecer e atingir seu peso ideal sem dietas e sem passar fome, comendo coisas deliciosas de VERDADE (até mesmo brownie de chocolate e outras sobremesas), então, acho que vai curtir muito esse vídeo abaixo:

CLIQUE AQUI PARA VER O VÍDEO

Nesta apresentação, podemos ver coisas do tipo:

• Como saber de forma certeira quando uma receita é emagrecedora ou “engordadora”.

• Um erro crucial que impede a grande maioria das pessoas de emagrecer e como evitá-lo.

• O que podemos comer todo o santo dia, em cada refeição, para emagrecer de forma rápida, saudável e permanente.

• Como é possível comer até mesmo brownie de chocolate e enchiladas mexicanas a vontade e ainda emagrecer?

Espero que curta e comece a usar as dicas dadas já na sua próxima refeição para emagrecer de vez e viver melhor!

Receitas Caseiras e Saudáveis para Emagrecer
Depois das dicas do vídeo, no final da apresentação, o Rodrigo Polesso* fala de um Guia de 50 Receitas para Emagrecer.

Leia também: Kifina Anvisa

* Rodrigo Polesso é o autor do maior bestseller nacional sobre emagrecimento e criador do mais confiável e honesto site sobre emagrecimento e boa forma. A página do facebook possui mais de 300 mil seguidores!

Essas receitas são realmente emagrecedoras, testadas e comprovadas.

E não pense que são receitas sem graça, sem gosto e repetitivas, que nem dá vontade de comer. Eu utilizo essas receitas diariamente aqui em casa e realmente são deliciosas.

Leia também: comprar Phytophen 

São receitas para o café da manhã, almoço, janta, sobremesas e lanches. Todas práticas, fáceis e testadas.

E o melhor: você pode comer o quanto quiser e quando quiser delas e ainda assim emagrecer e atingir seu peso ideal. Por que todas elas seguem à risca as melhores diretrizes nutricionais corretas para se emagrecer de forma cientificamente comprovada.

Teste por 30 dias
Nós sempre ficamos com dúvida se vale a pena ou não, então sugiro que faça o seguinte: teste por até 30 dias.

Se achar que não gostou do ebook, em até 30 dias, você simplesmente pode enviar um email para o Rodrigo pedindo o reembolso, sem precisar explicar nada.

O risco é zero, já que todo o dinheiro é devolvido. Esta é uma garantia que faz com que a gente não tenha nenhum receio de perder dinheiro e que garante que o conteúdo é bom.

Eu já pedi o reembolso de cursos que não gostei, mas esse guia achei realmente útil e que vale muito a pena. Tenho certeza que você também vai gostar.

Colágeno: A molécula de múltiplas funções

Colágeno: A molécula de múltiplas funções

A palavra colágeno vem aparecendo ultimamente nos jornais e na televisão associada, sobretudo a cremes cosméticos ou injeções subcutâneas para corrigir rugas. Na realidade, colágeno é o nome de uma família de moléculas proteicas com importante papel no nosso corpo, como demonstram numerosos e recentes estudos. A análise desta família de moléculas, muito parecidas entre si, permite compreender a origem de várias doenças e contribui para o aperfeiçoamento das técnicas de produção e reprodução de células em larga escala fora do organismo. Esse conhecimento tem favorecido avanços significativos no campo da biologia e das ciências da saúde.

Leia também: Colágeno tipo 3 e 1

Se tirarmos a pele de um animal, veremos que a sua superfície interna é branca. Esta substância branca é o colágeno. Se aquecermos esta pele em água a altas temperaturas, o colágeno se dissolverá, formando um líquido viscoso que é utilizado como cola. Daí provém o nome: cola+geno (gerar). Esta cola usada na culinária e na indústria constitui a gelatina. Após tratamento químico que impede o seu apodrecimento, o colágeno da pele constitui o couro.

Estruturas fibrosas de colágeno e de elastina (substância que compõe as fibras que dão elasticidade a pele) desempenham no nosso corpo papel análogo ao dos vergalhões em uma construção, na qual as células seriam os tijolos. A molécula de colágeno é o resultado da associação de moléculas proteicas alongadas: são três cadeias de aminoácidos, presos como elos de uma corrente, que se enrolam uma às outras formando uma tripla hélice.

As moléculas de colágeno uma vez se unem formando fibras muito finas, as fibrilas, visíveis apenas sob microscópio eletrônico. As fibrilas se unem novamente, formando as fibras visíveis no microscópio óptico. O conjunto acaba adquirindo o aspecto de uma corda trançada por fibras finas dispostas em espiral. É uma estrutura tão firme que o colágeno mais forte do nosso corpo resiste mais a tensões do que um fio de aço.

Até o presente já foram identificados 14 tipos diferentes de colágeno no corpo de mamíferos. Destes, quatro – numerados de I a IV – são os mais conhecidos. Eles diferem entre si pela fórmula química, pelo modo de associação entre suas moléculas, pelas funções que desempenham e pelas doenças que a sua má-formação e a sua produção excessiva ou insuficiente podem causar. O colágeno I é o mais abundante e está presente na pele, nos ossos, nos dentes e nos tendões. Apresenta-se sob forma de fibras grossas, sendo por isso o mais resistente a tensões.

Leia também: Skin renov bula

O colágeno II é encontrado nas cartilagens e produzido pelas células cartilaginosas. Como não forma fibras, só é visível com microscópio eletrônico. Associa-se a outras células da matriz extracelular, ligando-se fortemente à água. Ele funciona como uma esponja, cedendo água quando pressionado e voltando a forma primitiva quando a pressão cessa. Torna-se, assim, uma espécie de mola muito importante, que permite ao joelho, por exemplo, aguentar todo peso do corpo. Nas pessoas obesas, ele frequentemente se desgasta, o que causa problemas de locomoção.

O colágeno III é constituído por fibras nas artérias, no músculo dos intestinos e do útero e em órgãos como o fígado, o baço e os rins. É produzido pelas células musculares e outros tipos de células. As fibras deste tipo de colágeno apresentam certa elasticidade, e por isto são sempre encontradas em órgãos de forma variável, como intestino, útero e nas artérias.

O colágeno IV é formado por moléculas de colágeno que não se associam em fibrilas, mas prendem-se umas as outras pelas extremidades, formando uma rede semelhante a uma tela de arames. Ele se associa a várias moléculas não fibrosas da matriz extracelular e forma uma membrana contínua que separa certos tecidos. Em certas regiões desempenha o papel de filtro. Isto é bem evidente nos rins, onde filtra a urina a partir do sangue. É produzido pelas células epiteliais, musculares e pelas células dos capilares sanguíneos. Vê-se, portanto, que a família dos colágenos tem várias funções e que suas moléculas se dispõem de diferentes maneiras, de acordo com a função a ser desempenhada. Há fortes evidências de que estas moléculas foram modificadas durante a evolução dos seres multicelulares e se adaptaram gradualmente a várias funções que surgiram nesse processo.

A produção de colágeno é o resultado de uma complexa sequência de eventos bioquímicos no interior das células, seguidos por outros fora delas. Esta sequência de eventos explica como é possível haver uma grande variedade de moléculas de colágeno. Explica também porque várias doenças decorrem da síntese defeituosa destas moléculas, pois quanto maior o número de etapas necessárias, maior a probabilidade de defeitos.

Algumas dessas doenças já são desconhecidas, e é muito provável que seu número aumente consideravelmente no futuro, seja porque ocorreram em outros tipos de colágeno, seja porque envolverão mais etapas da síntese dos tipos já conhecidos.

Além da produção de moléculas defeituosas, outras causas de doenças é a produção diminuída ou exagerada de colágeno. A síndrome de Ehler Danlos é um exemplo de produção diminuída do colágeno I. A pele dos pacientes fica fina e friável, rasgando-se facilmente, e os ligamentos das articulações são frouxos. Numa forma benigna, ele se manifesta nas contorcionistas. Uma variante desta síndrome caracteriza-se pela falha na síntese de colágeno III. Os óbitos decorrem da ruptura das artérias e do intestino. Outro exemplo de produção defeituosa de colágeno I é a osteogênese imperfecta. Nos casos graves, o processo começa na fase intra-uterina, com fraturas nos ossos do feto, processo que se exacerba durante e logo após o parto, levando à criança a morte precoce.

Leia também: Colágeno tipo 3 e 1

A produção excessiva de colágeno do tipo I pode provocar a esclerose múltipla progressiva (EMP). A produção aumenta gradualmente, atingindo, sobretudo a pele dos membros superiores, da face e do esôfago. A quantidade produzida é tão grande que o colágeno forma uma camada dura na pele das mãos, deformando os dedos e impossibilitando seus movimentos. Quando ocorre na face, o paciente parece estar usando uma máscara, tal a dificuldade em contrair músculos faciais.

A formação de queloides é o resultado da produção excessiva de colágeno em cicatrizes. É mais comum e intensa em negros e dificulta as cirurgias reparadoras – principalmente de queimaduras -, pois a tentativa de corrigir os queloides faz com que apareçam em maior número.

Já há algum tempo, revistas, jornais e televisão vêm dando publicidade ao uso de cremes de colágeno, que, dizem as notícias, teriam a capacidade de revitalizar a pele e de acabar com as rugas ou atenua-las. Como não existe nenhum trabalho científico publicado que demonstre, com bases sólidas, esses resultados, fica bem claro que seu uso não é vantajoso.

Leia também: Colágeno tipo 3 e 1

O mesmo acontece com as injeções de colágeno, recomendadas contra as rugas. A experiência demonstrou que o colágeno injetado debaixo da pele, sob forma de gelatina, realmente forma uma almofada subcutânea que distende a pele, reduzindo localmente as rugas. Entretanto, o que também se verificou é que após alguns meses o colágeno é reabsorvido e as rugas voltam a aparecer. Trata-se, portanto, de um tratamento provisório que teria de ser repetido com frequência, aumentando a possibilidade de uma reação imunológica indesejável.

Esse entusiasmo pelo uso do colágeno foi acompanhado do investimento de vultosas somas na comercialização e publicidade desses produtos. Isso deu oportunidade ao surgimento de inúmeros charlatões: durante certa época, o colágeno servia para tudo, e chegou a aparecer um cientista que preconizava na imprensa o seu uso como anticoncepcional. O triste de tudo isto é que o método químico de preparação do colágeno é muito simples e barato. Nós o preparamos, como rotina, desde 1978. Mas isso não impediu que fosse importado do exterior por preços elevadíssimos e para usos que resultaram em nenhuma utilidade.

Por outro lado, o colágeno isolado ou associado a outros componentes da matriz extracelular apresenta a capacidade bem demonstrada de estimular a reprodução e a atividade das células, como no caso de produção de pele a partir de células de um paciente. Os estudos do efeito da matriz extracelular sobre a produção de medula óssea estão bem adiantados. È de se prever para um futuro próximo a sua produção em laboratório, para enxerto de doentes de leucemia ou em vitimas de irradiação, como as do acidente de Goiânia com césio radioativo.

É bem possível que, com o tempo, ampliem-se os bancos de células já existentes, como a do Instituto nacional do Câncer (Rio de Janeiro), armazenando-se células com características imunológicas definidas. Isso permitirá a produção de tecidos com determinadas características, de modo a eliminar a necessidade de certos tipos de transplantes e os problemas de rejeição que estas cirurgias envolvem.

Já deve ser tarde da noite e nada de dormir… Ou você está tendo um péssimo dia pois não dormiu bem na noite anterior, não é mesmo!?

Já deve ser tarde da noite e nada de dormir… Ou você está tendo um péssimo dia pois não dormiu bem na noite anterior, não é mesmo!?

Pois então fique tranquilo(a)! Essa é a última vez que isso irá acontecer.

Você acabou de encontrar o melhor artigo da internet dos últimos anos para ajudá-lo a dormir melhor, com indicações exclusivas dos melhores remédios para dormir (sem precisar de receita ou prescrição médica).

Atenção: Ao longo do artigo, assista aos dois vídeos nessa página pois, ao final, você irá descobrir a solução definitiva para conseguir dormir como nunca antes.

No mundo em que estamos vivendo, as pessoas se encontram continuamente com insônia e isso não ocorre somente no Brasil, é no mundo inteiro!

Para aliviar esse sintoma, diversos métodos e remédios para dormir são desenvolvidos e eles servem para aprimorar a quantidade e qualidade do sono.

Você deve ficar se perguntando: “Por que é tão difícil dormir?” e assim, fica procurando técnicas que te ajudem nesse processo, mas saiba que somente com uma pílula milagrosa 45 minutos antes de se deitar, você pode dar adeus para essa dificuldade. (Veja o post até o final para descobrir… ou clique aqui se você não aguenta mais sofrer de insônia)

Na indústria farmacêutica você consegue encontrar diversos remédios controlados para dormir, sejam eles de tarja vermelha ou preta que podem te ajudar nesse processo, porém, para adquiri-los você precisa de prescrição médica e eles ainda podem acarretar em muitos efeitos colaterais para a sua saúde.

Veja alguns desses medicamentos e os tipos de remédios para dormir abaixo , seus princípios ativos, o que fazem no organismo e os GRANDES efeitos colaterais.

Conteúdo da Página [Exibir]

Os Principais Tipos de Remédio para insônia

1. Benzodiazepínicos Sedativos Hipnóticos
Esse é o tipo mais comum de medicamentos usados para dormir, porém, por terem fórmulas mais antigas eles costumam criar dependência química mais fácil do que os outros remédios.

De forma geral, são usados para tratar alguns transtornos ligados à ansiedade e também à insônia.

2. Não Benzodiazepínicos Sedativos Hipnóticos
Como os benzodiazepínicos, são remédios para dormir controlados que agem na mesma área do cérebro, porém também causam dependência. Apesar de ter menos efeitos nocivos que os benzodiazepínicos, não são adequados para todos os pacientes por causarem diversos outros efeitos colaterais.

3. Remédios Antidepressivos para Dormir
Muitas pessoas usam antidepressivos como uma forma de aliviar a insônia. É verdade que esse tipo de remédio para insônia pode ajudar você a dormir ao causar uma certa calma, mas, de forma geral, o uso não é indicado porque podem acabar gerando quadros depressivos, pensamentos suicidas, desânimo e outros efeitos negativos no corpo.

4. Receptores de Melatonina
A melatonina, que é muito comum nos Estados Unidos e foi aprovada recentemente pela ANVISA aqui no Brasil, imita perfeitamente o hormônio que regula o nosso sono. Ou seja, ela age ativamente na área específica do cérebro que é responsável pelo sono e não causa qualquer dependência química ou efeito colateral.

Além de ajudar na indução do sono, a melatonina também proporciona os seguintes benefícios:

Ação sobre hormônios anabólicos;
Melhora a resposta imunológica;
Ação antioxidante;
Reorganiza o ciclo do sono;
Retarda o Envelhecimento;
Ação Neuroprotetora;
Melhora do Efeito Ergogênico (Desempenho Físico).
Todos esses benefícios foram comprovados cientificamente por estudos realizados por grandes Empresas e Faculdades renomadas, como esse aqui da Unicamp.

Principais Remédios para Dormir e Acabar com a Insônia – Os mais Conhecidos

1. Lexotan (Bromazepam)
Esse medicamento é um ansiolítico recomendado para diminuir a ansiedade e controlar as mudanças de humor. Ele também atua no tratamento da esquizofrenia e de diversas outras doenças relacionadas a agitações psiquiátricas.

Esse remédio para dormir é bem forte e causa relaxamento muscular e sonolência instantaneamente.

Porém, precisa ser utilizado com consciência, pois quando a dosagem é muito alta, ele tende a paralisar o sistema respiratório, causando consequências graves e até mesmo o óbito.

2. Lorax (Lorazepam)
Esse benzodiazepínico possui um efeito calmante rápido e forte e pode ser usado para tratamento de nervosismo e ansiedade.

Ele é indicado principalmente para quem possui insônia profunda, pois tem um efeito sedativo intenso.

Seus principais efeitos colaterais são:

Sonolência excessiva;
Sensação de fadiga tanto mental quanto física;
Perda de memória a curto prazo, entre outros.
3. Rivotril (Clonazepam / Nitrazepam)
Esse é o medicamento mais famoso para tratar depressão e problemas ao dormir.

Sua atuação é diretamente no sistema nervoso, onde relaxa os músculos e transmite sensação de tranquilidade.

Depois de ingerir esse remédio para dormir, você começa a sentir o seu efeito em 30 minutos e ele é recomendado para casos de síndrome do pânico e ansiedade.

Dentre seus efeitos colaterais, você pode sentir: sonolência, falta de concentração e perda de equilíbrio.

4. Alprazolam, Frontal ou Xanax (Benzodiazepina)
Esse é um medicamento benzodiazepínico, que como mencionei pode causar dependência com muita facilidade, e é mais indicado para transtornos de ansiedade.

É importante salientar que esse medicamento deve ser utilizado por no máximo 4 semanas afim de evitar a dependência.

5. Prozac (Fluxetina)
Esse é um medicamento anti-depressivo que induz o sono poucos minutos após ingerir o comprimido, mas é um medicamento tarja preta muito forte e possui diversos efeitos colaterais como alteração de peso, alucinações e até mesmo desmaios.

6. Buspar (Cloridrato de Buspirona)
Esse medicamento causa pouquíssima dependência química, e na maioria das vezes os pacientes não ficam com nenhum tipo de dependência, mas possui diversos efeitos colaterais como tonturas, nervosismo, agitação momentânea e taquicardia.

Os medicamentos abaixo também são conhecidos no mercado farmacêutico, porém vamos deixar apenas os nomes indicados.

7. Valium (Diazepam)
8. Dalmadorm (Flurazepam)
9. Sonata (Zaleplon)
10. Zolpidem (Tartarato de Zolpidem)
11. Noctal (Estazolam)
12. Trazodona (Cloridrato De Trazodona)
13. Amitriptilina (Antidepressivo Tricíclico (ADT))
14. Dramin, Dramin B6 e Nausicalm (Dimenidrinato)
Observação IMPORTANTE: Não tome nenhum desses medicamentos sem a recomendação médicas, pois eles podem causar dependência química e ainda lhe ocasionar efeitos mais graves, até mesmo o óbito. Além disso, todos acima mencionados precisam de receita médica e não são naturais!

Mas Então, Qual é a Solução Definitiva para Acabar com a Insônia?
Se você anseia mesmo vencer a insônia de modo saudável e sem efeitos colaterais, corra para esse site!

O Vital Caps+ é um suplemento natural que pode fazer com que você consiga ter noites de sono super agradáveis sem necessitar de nenhum outro medicamento controlado, já imaginou?

Esse remédio para dormir foi estudado por um pesquisador americano e está comprovado: ele pode aumentar até 98% do hormônio do sono.

O Vital Caps+ é um suplemento que ajuda na redução da ansiedade e da gordura e ainda possui efeito calmante que auxilia nas atividades mentais.

Rico em triptofano, ele atua controlando o estresse e ajuda no tratamento do combate a insônia.

Sua fórmula natural faz com que ele não cause nenhum efeito colateral e qualquer pessoa pode fazer uso dessa medicação, quer algo melhor?

Mas porque o Vital Caps+ é tão bom assim?

Primeiramente, só por ele ser 100% natural e proporcionar resultados significativos já é razão para ser utilizado sem medo!

Composto por melatonina, serotonina e hormônios naturais, ele é o que você e o seu corpo precisa para que você tenha uma boa noite de sono.

Legalizado e aprovado no Brasil, sendo um dos únicos remédios para dormir que não precisam de receita para comprá-lo.

O Vital Caps+ é bem melhor do que todos os remédios químicos e muitas pessoas já se encontram satisfeitas com o seu uso.

E ainda tem mais, por ser produzido totalmente de modo natural, ele não vicia!

Não fique fora dessa, adquira logo o seu produto!
O Melhor Remédio para Dormir – Por Recomendação do Portal Especializado em Sono “Como Acabar com a Insônia

Ultimamente, a vida da maioria das pessoas anda muito corrida e essa quantidade de informações que são jogadas em cima de todos acaba fazendo com que dormir seja uma tarefa um pouco complicada.

O foco das pessoas hoje em dia tem sido: trabalhar demais e não relaxar e isso não pode ocorrer.

Você não deseja conseguir dormir e relaxar por mais tempo? Para que seu cansaço seja minimizado e você se sinta mais disposto para curtir a vida?

Se sim, não deixe de adquirir o Vital Caps+, ele é excelente quando o assunto é solucionar a sua insônia!

Não deixe que problemas como: ansiedade, falta de disposição, estresse, depressão e insônia façam parte da sua vida.

E nem utilize remédios controlados, pois eles muitas vezes tendem a aliviar esses sintomas e fazem aparecer muitos outros.

Atualmente, o mercado está disponibilizando diversas opções de medicamentos, mas a maioria são pesados e perigosos e você nunca sabe em qual confiar de verdade.

Agora, a parte mais importante desse artigo. Veja com Atenção:

Essa alternativa é a melhor para você, com o Vital Caps+ você consegue dar adeus para todos esses problemas e isso ocorre pelo seguinte motivo:
O Vital Caps+ é um remédio natural que age como precursor da serotonina, que é um neurotransmissor de bem estar e prazer. Ela é conhecida por controlar o humor devido aos seus efeitos que é: relaxar e satisfazer, o que contribui de modo super produtivo para o sono.

Dessa maneira, esse remédio para dormir consegue ter influência direta e indireta na sua alimentação, sono e fadiga, contribuindo para que todos esses sintomas se regularizem e você consiga viver bem!

Você ainda quer ficar fora dessa? Creio que não! Faça parte das pessoas que utilizam e aprovam o Vital Caps+ clicando aqui!

Esse remédio é diretamente para quem sofre com a falta de sono! Preparado em farmácias de manipulação, é totalmente liberado no Brasil e você pode adquiri-lo agora mesmo!

PS: O Vital Caps+ é um dos únicos remédios para insônia que não precisam de receita!

E você pode confirmar isso com alguns depoimentos da cantora Simony, que utiliza a medicação e recomenda!

Então, se você possui dificuldade para dormir e anseia adquirir um suplemento 100% natural que te ajude nessa situação, não perca tempo, consuma Vital Caps+ e tenha uma vida bem mais saudável, sem se tornar dependente de remédios agressivos e nocivos a sua saúde!

Os remédios para dormir industrializados são prejudiciais, mas saiba que com esse você só terá benefícios, aproveite!